ESPERANÇA MÉDIA DE VIDA

por José Carreira | 2016.10.08 - 21:30

 

 

A pirâmide demográfica portuguesa tem envelhecido de ano para ano.

Nós, os portugueses, temos cada vez menos filhos e vivemos cada vez até mais tarde.

De acordo com os dados da Organização Mundial de Saúde, Portugal ocupa o 21º lugar a nível mundial e o 15º no panorama europeu.  A esperança média de vida das mulheres está nos 83,9 anos e dos homens nos 78,2 anos. As mulheres que vivem mais anos residem no Japão – 86,8 e os homens na Suíça – 81,3.

Habitualmente, a esperança média de vida está associada à riqueza do país e ao acesso aos serviços de saúde e à educação. Curiosamente, em Portugal, à esperança média de vida, apesar dos progressos registados nas últimas décadas, não corresponde o acesso e qualidade da educação e da saúde. ´

“Pode dizer-se que Portugal é caso raro. Evoluiu de uma maneira extraordinária em 30 anos, apesar de não sermos um país rico e de a taxa de escolaridade não ser elevada como noutros países”.

Que fatores poderão contribuir para que as mulheres e os homens portugueses tenham uma esperança média de vida tão elevada?

Arrisco-me a apontar três fatores que poderão ser determinantes: a dieta mediterrânica; a “instituição” família e as redes de sociabilidade.

Apesar do boom da “comida de plástico”, da “Frankenfood” (comida digna de monstros, como o de Frankstein), a Dieta Mediterrânica ainda é um bom hábito nas refeições que fazemos e permite manter um padrão de alimentação saudável e um estilo de vida marcado pela diversidade.

A Família continua a ter um papel preponderante na sociedade portuguesa, um “porto de abrigo” que apoia e cuida dos seus membros que se entreajudam, nas diversas fases da vida. Um avô que leva o neto à escola ou uma filha que ajuda a mãe nas tarefas da vida diária são atividades comuns.

As redes de sociabilidade, como os vizinhos e / ou os amigos, são determinantes pelo apoio informal de proximidade que dão e também porque são catalisadores da participação ativa na vida da comunidade. Alimentação Saudável, Família e Amigos contribuem, em grande medida, para o aumento da esperança de vida que poderá, de acordo, com a notícia do jornal Público, vir a chegar, no limite máximo, aos 115 anos:

“(…) equipa de especialistas do Departamento de Genética da Faculdade de Medicina Albert Einstein, em Nova Iorque (EUA), usou bases de dados demográficos para concluir que o limite máximo da longevidade da nossa espécie foi atingido e fixa-se à volta dos 115 anos”