Envelhecimento ativo e saudável

por José Carreira | 2016.05.17 - 18:04

 

 

No âmbito do consórcio Ageing@Coimbra, realizou-se o 4.º Congresso Regional Envelhecimento Ativo e Saudável, no Auditório da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

O Ageing@Coimbra tem três objetivos centrais: identificar projetos de boas práticas em curso ou a desenvolver na Região Centro; identificar parceiros que contribuam para o crescimento do consórcio e criar parcerias na rede europeia de saúde e envelhecimento.

Foi com muito prazer que, na qualidade de representante das Obras Sociais (membro do consórcio), me dirigi a Coimbra para assistir às intervenções de especialistas e às apresentações de projetos inovadores e de boas práticas.

O Painel 1: “Envelhecimento Ativo e Saudável: uma prioridade europeia” contou com os contributos de João Malva – A Região Centro de Portugal como Região Europeia para o Envelhecimento Ativo e Saudável – e Jean Bousquet – Boas práticas e sinergias no contexto europeu.

No Painel 2: “Boas práticas desenvolvidas pelos parceiros”, foram apresentados projetos científicos / tecnológicos e sociais / culturais: SOS PESSOA IDOSA: AJUDE-SE. NÃO FECHE OS OLHOS; GROWMEUP; FOCUS; SIMPATHY- Inapropriate Polypharmacy…

No Painel 3: “A solidão vista pelo cinema”, tomaram a palavra, com a moderação de Mário Augusto, os realizadores António Pedro Vasconcelos e Pedro Filipe Marques. Forma apresentados excertos dos filmes “Os gatos não têm vertigens”[1] e “A nossa forma de vida”[2] que serviram de mote ao debate. O consagrado cineasta, António Pedro Vasconcelos, revelou que está a trabalhar num novo filme que retratará a vida num lar da terceira / quarta idade e considerou também que “Há sempre um grau de infelicidade na solidão”.

Foram bastante gratificantes as “Histórias de Vida”, relatadas por Virgílio Caseiro e António Arnaut, no Painel 4.

O congresso foi encerrado, com brilhantismo, pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Abordou a questão do duplo envelhecimento que considerou um desafio nacional e internacional. Apelou ao desenvolvimento das plataformas sociais, baseadas numa nova postura ética e social. Considerou também que “mais depressa os sonhadores mudam a sociedade do que os tecnocratas”.

marcelo rebelo de sousa

(foto AJosé/Lusa)

 

 

[1] https://youtu.be/u_gKEOeFzuk
[2] https://youtu.be/ZEMRQyxklB0