“Destruição criativa” ou criação destrutiva?

por João Fraga | 2014.01.14 - 12:34

Ouvia há pouco (13/1/2013), no Prós e Contras (RTP1), um professor (Sr. doutor Pedro Santa Clara) da School Business of Economics da Universidade Nova (a tal “escola de negócios” onde não se fala português e que, nestes “tempos da finança”, fica sempre muito bem posicionada nos rankings do Finantial Times) defender o caminho seguido por este Governo, o caminho da “destruição criativa”.

“O desemprego é uma oportunidade”, “emigrem”, os “resultados dos sacrifícios” estão à vista, é preciso diminuir o subsídio de desemprego e o subsídio de doença para “activar” os desempregados e os doentes, precarizar o trabalho e degradar as condições de trabalho para criar “atractividade” ao investimento, baixar ainda mais os salários para aumentar a “competitividade”, “moderar” o acesso à saúde para sanar as finanças, lançar os portugueses uns contra os outros, esmagar os que já não já não têm idade, força ou saúde para se defenderem e serem “criativos”.

Uma forma de “criar”, destruindo a dignidade, a solidariedade, a compaixão, a esperança, a participação social, a(s) comunidade(s).

É por isso, pela ascenção ao poder político desta escola ideológica (perdão, de “negócios”…) da “economia que mata” (Papa Francisco, Evangelii Gaudium), que este Governo está a destruir tudo que não seja “criativo” de mercado para o mercado dos “mercados”: empresas, empregos, instituições, famílias e, sobretudo, pessoas que … que não sejam “criativas” de mercado.

É isto, esta “ariana” criação destrutiva que visa a tal “destruição criativa” (re)criada por estas criaturas  criadas por esta  linha académico-“negocial”, que comanda, do interior e do “exterior que nos observa”,  o poder político actual.

Poder político que, pelas razões que tão bem demonstrou no programa o professor Miguel Real, urge, cada vez mais, ser, democrática e criativamente,… destruído.

Inspector do trabalho (aposentado), 67 anos, licenciado em Gestão de Recursos Humanos, com pós-graduação em Psicologia do Trabalho pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, residente em Santa Cruz da Trapa.

Pub