Desporto: Viseu ultrapassa Coimbra

por Vitor Santos | 2016.01.14 - 21:02

 

Uma série de assimetrias acentuam o fosso entre o litoral e o interior do país. No essencial o país continua a ser caraterizado por duas grandes regiões metropolitanas, com fronteiras difusas no centro do país – em que Viseu é o único distrito que é uma «ilha» entre outros.

O Instituto Nacional de Estatística já disponibilizou os dados de 2014 e dos quais podemos fazer uma leitura interessante e refletiva em relação ao desporto. Com a exceção de Aveiro e Guarda o número de clubes diminuiu nos distritos do centro do país. Viseu perde 10 clubes entre 2007 e 2014, tem atualmente 332. O número de clubes é significativo quando comparamos Aveiro – tem 862 clubes, com os outros distritos: Leiria 490, Coimbra 476, Vila Real 214, Castelo Branco 175, e Guarda 159. Aveiro «ganha», no período referenciado, 65 clubes em contra ciclo com os outros distritos. O fosso alarga-se. Estes números são relevantes e demonstram atividade desportiva – competição, numa zona que já por si, além de maior densidade, é mais forte economicamente.

Coimbra é, e surpreende, o único distrito em que o número de atletas diminui – tem menos 409. Parece haver um desfasamento entre o Ensino Superior e o Desporto. Um sinal que deve preocupar quem tem responsabilidades políticas.

Registe-se que o número de mulheres a praticarem desporto federado aumenta em todos os distritos.

Viseu – com 24 190, tem mais 10 000 atletas federados em 2014 relativo ao ano de 2007. Um aumento significativo, que fica longe dos 45 952 de Aveiro, mas que ultrapassa Coimbra que regista apenas 21 499 atletas. A Viseu faltam, no entanto, equipas a competir nos principais campeonatos seniores – se excetuarmos o CD Tondela na 1.ª liga de futebol.

Com estes números é possível afirmar que as dificuldades das equipas do interior são muito maiores quando em confronto com as do litoral. Os campeonatos descaem sempre para oeste onde há uma base mais ampla para a seleção de atletas. Os feitos desportivos alcançados pelas equipas do interior, em campeonatos nacionais, são pontuais mas têm mérito acrescido.

No que se refere à prática desportiva federada, tendo por referência o número de atletas inscritas/os nas respetivas federações, o ano de 2014 manteve a tendência de aumento geral do número de atletas federados, alcançando-se o valor de 544 513 praticantes. A natação é a modalidade que mais tem crescido.

Sem cultura e desporto uma região é sempre pobre.

 

 

Vitor Santos nasceu em Viseu no ano de 1967. Concluiu o Curso de Comunicação Social no IPV. Conta com várias colaborações na Imprensa Regional. Foi diretor do Jornal O Derby.

Pub