CELEBRAR O NATAL COM UMA PESSOA COM ALZHEIMER

por José Carreira | 2016.12.21 - 10:40

 

 

O Natal é por excelência a festa da família. As várias gerações reúnem-se e confraternizam, fazendo jus às tradições, recordando histórias, saboreando o tradicional bacalhau, o bolo rei, as rabanadas, os sonhos…

Contudo, esta quadra festiva pode ser muito complicada e dolorosa tanto para as pessoas afetadas pela doença de Alzheimer como para os seus cuidadores. A quebra das rotinas pode levar a que as pessoas com Alzheimer se sintam desorientadas. Os cuidadores preocupam-se pelo facto de haver mais pessoas à mesa e a conversar dificultando a comunicação com a pessoa doente.

A Fundação Pasqual Maragall, atenta a estas dificuldades, elaborou uma lista de recomendações para que todos possam aproveitar os festejos de Natal em família ou se, ao contrário, por iniciativa própria ou pelas circunstâncias, a pessoa enferma e o seu cuidador ficam sozinhos em casa.

Quando a festa é celebrada no seio da família:

  • É recomendável dar conhecimento dos antecedentes aos familiares e amigos, ou seja, informá-los do estado atual da pessoa com Alzheimer e dar-lhes dicas básicas para que se comportem naturalmente e sem medo. Os cuidadores não devem sentir-se responsáveis pelo comportamento da pessoa doente, toda a família deve assumir e entender que é fruto da doença. É também recomendável que os familiares e amigos se dirijam à pessoa doente um por um e com tranquilidade.
  • As crianças transmitem sempre alegria aos avós e pessoas mais velhas, por isso é bom implicá-las nas celebrações e propiciar que se relacionem normalmente com a pessoa com Alzheimer.
  • Para evitar situações de demasiado stresse, aconselha-se a adequação e a ter disponível um espaço para onde a pessoa com Alzheimer possa retirar-se, caso precise de descansar ou prefira estar só, assim como ter uma atividade preparada que a mantenha calma e que esteja habituada a fazer.
  • O cuidador tem que tentar relaxar e usufruir também das celebrações. Para o conseguir terá que pedir apoio aos seus familiares e amigos na tarefa de cuidar e também na organização dos preparativos para a festa.
  • Se existe alguma tradição familiar deve manter-se. Por exemplo, cantar quadras tradicionais poderá incidir nos efeitos terapêuticos que pode ter a música nos casos de doença de Alzheimer.
  • Perante um comportamento inapropriado à mesa, aconselha-se a que tente distrair a pessoa e chamar a sua atenção para outra coisa.

Quando a pessoa com Alzheimer e o seu cuidador ficam sozinhos em casa, recomenda-se:

  • Decorar a casa, fazer a árvore de Natal com luzes e montar o presépio, pedindo que participe nessas tarefas. Do mesmo modo, recomenda-se que, uma vez acabados os festejos, se retirem as decorações para evitar a confusão temporal.
  • Preparar pratos típicos de Natal e pôr a mesa de maneira especial, assim como comprar doces típicos da época e brindar.

 

A todos um Santo Natal!