Baía Farta

por Romira Jamba | 2014.06.16 - 17:08

 

 

Ah, o calor tropical!

Como já tive oportunidade de escrever, estar em Portugal, é estar em casa.

De Benguela ao Porto há uma distância e várias rotas. Mesmo falando na mais encurtada, 6.387 kms separam as duas cidades da minha vida e a rota mais facilitada perfaz 9.600 kms. Quase seis idas de Vilar Formoso a Paris. Mas insisto, coordenadas à parte, sinto-me em casa. E mais ainda agora que a temperatura disparou para os 34 graus e eu me sinto como se estivesse a passear na Praia Morena ou a banhar na Baía Farta.

Embora a Aguda, Miramar, Espinho, Leça da Palmeira, Angeiras, Lavadores, Madalena e outras mais sejam tão agradáveis… para mim, sem nortada, apenas queria aquela água menos fresquinha. Já meu filho não a estranha. É a natureza.

Esta ano o trabalho foi muito e produtivo. As férias serão para o final do ano. Os meus dois portugueses andam em sintonia comigo na sua programação. A família de Portugal e a família de Angola, juntas. Vamos ter festa como sabemos bem fazer. Muito peixe, muito marisco e muita curtição.

O nosso clima tropical seco vai-nos dar este ano abençoado dois verões. E ainda haverá ocasião de ir mostrar Luanda aos meus portugueses, mesmo esquecendo os 700 kms que são longos, pela estrada, pelo ar, encurtados para metade, em 45 minutos se fazem com costa e Atlântico à vista. Viagem maravilhosa.

Angola é muito grande. Um país enorme nas suas 18 províncias, a fazer fronteira com o Congo, a Zâmbia e a Namíbia. Com uma diversidade de clima, de fauna, de flora, de morfologia…

Acho que quase todos os portugueses gostariam de Angola.

Porque não experimenta umas férias em Benguela? Se calhar, não queria regressar.