AU REVOIR MONSIEUR EBOLA

por José Carreira | 2014.10.12 - 13:53

 

O senhor Le Pen, fundador da Frente Nacional Francesa, antes de um comício em Marselha, na última campanha eleitoral, considerou que o vírus Ébola “pode resolver” o problema de imigração da Europa em três meses. A Europa não aprovou a declaração, mas também não deu a devida importância ao surto do vírus em África. Só quando morreu o padre espanhol Miguel Pajares (12/08/2014), primeira vítima deste surto fora de África, soaram os alarmes europeus.

Entretanto, a notícia do contágio da auxiliar de enfermagem Teresa Romero, no Hospital Carlos III, lançou o pânico nos vizinhos e o caos nos serviços de saúde espanhóis. O Ébola, felizmente, parece não estar a propagar-se, mas o vírus do pânico, esse sim, está em escalada descontrolada. Há vizinhos que abandonam os apartamentos, ninguém brinca com os seus filhos na escola…

A bizarria mediática parece não ter fim. Morreram 4000 pessoas em África e a preocupação europeia não existiu. Morre uma pessoa em Espanha e a segunda contagiada é conduzida ao hospital em ambulância, escoltada pela polícia e colocada em quarentena. Ainda estão por explicar o erro nos procedimentos de segurança protocolados e as responsabilidades de cada um, vingando, até agora, o passa culpas habitual…

Igualmente chocante foi a reação ao anúncio de execução do cão de Teresa Romero, o Excalibur. As opiniões dos especialista dividiram-se, mas a reação da população foi bem ruidosa. Não questiono os direitos do Excalibur ou de outros animais, respeito-os, mas choca-me que essas mesmas pessoas não tenham reagido com igual vigor quando foram noticiadas as mortes em África. Longe da vista, longe do coração. Pois é…

Mas há mais bizarrias que nos devem inquietar, a começar pela luz verde dada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) ao uso de terapias e vacinas não testadas em seres humanos contra a doença, apenas em macacos.

Em África, a epidemia massacra a população que não tem ao seu dispor os meios técnicos para a enfrentar de forma eficaz. Chegou à Europa e alarmou-nos. Espero que sirva para que as farmacêuticas de dediquem a encontrar uma solução testada para combater o vírus.

Quanto a Le Pen, apologista das qualidades exterminadoras do vírus, talvez queira ser turista virológico. Se decidir viajar, AU REVOIR MONSIEUR EBOLA.

 

Foto: El País, El Roto, Viñeta de El Roto del 10 de octubre de 2014.