Albergue espanhol ou Câmara Municipal?

por PN | 2018.12.11 - 10:02

 

 

Há municípios que mais se assemelham a um albergue espanhol de terceira que a uns Paços do Concelho.

Questiúnculas intestinas, arrufos de “namorados”, desautorização de favoritos, favorecimento de lugares-tenente de outras hostes, luta da garnizés, indefinições comportamentais, falta de rigor na postura autárquica, prevalência do pessoal e do privado em detrimento do público, colocação de amigos e amigos de amigos, choque de interesses, “disse-que-disse”, bailarico de cadeiras, avenças, tenças e tensões… e sei lá eu que mais.

Tartufos a mais para uma comédia de Molière. Exemplos de rasteira indignidade. Falta de respeito pelos munícipes. Gestão da coisa pública como casa própria…

Há autarquias que deviam ter lá dentro – ao ano – inspectores e auditores públicos, munidos de lupa e muito tempo para minudências escondidas.

Enfim, ao que se vê por aí, mais parece uma película paquistanesa de 5ª qualidade, passional, arrebatada e… muito plastificada, onde provavelmente nada é o que parece e nada parece o que é.

Os “parvenus” instalados e ausência de liderança levam certas câmaras ao precipício, para penalização dos concelhos e dos munícipes que insistem em votar nalgumas corjas de gabirus, para nódoa e mancha da maioria dos autarcas dignos.