A União de Freguesias que apenas o foi no papel

por Carlos Cunha | 2018.10.31 - 10:24

 

         As reformas administrativas têm maior aceitação popular quando o sentido das mesmas é ascendente.

         A União das freguesias de Boa Aldeia, Torredeita e Farminhão apenas existe no papel, tendo sido defendida pelos tecnocratas que a elaboraram para a Troika ver e aprovar, sem nunca ter havido uma verdadeira vantagem económica volvidos estes anos.

Em boa verdade, o povo sempre se sentiu independente na sua vontade e nunca viu com bons olhos a agregação das três freguesias numa só, mas teve de comer, porque calar nunca se calou verdadeiramente.

Ontem, deram finalmente um passo em frente no sentido de voltarem a ter naquele território três freguesias independentes com órgãos de governação próprios e eleitos pelos fregueses de cada uma.

Esta tentativa de reversão é a primeira a ocorrer no concelho de Viseu e assumida de modo frontal e unânime por todos os intervenientes que sentem a independência das freguesias como a forma de governação local que melhor defende os interesses do povo e daqueles territórios.

Provavelmente, poderá haver outras uniões a seguir o caminho agora iniciado. Ao verem este exemplo quem sabe se poderão ter vontade igual.

Será interessante ainda acompanhar o sentido de voto dos diferentes grupos municipais, que na próxima sessão da Assembleia Municipal se irão pronunciar sobre o assunto.

Será o PSD capaz de reverter o sentido de voto, uma vez que a Moção a apresentar pela ainda União das Freguesias de Boa Aldeia/ Torredeita e Farminhão só será aprovada se os deputados do PSD a votarem agora favoravelmente, invertendo o voto de há seis anos.

Veremos assim quem mais ordena se o povo ou os deputados municipais do PSD.

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub