A produção vinícola e o enoturismo

por Carlos Cunha | 2015.02.23 - 11:37

 

 

A produção vinícola e o enoturismo são cada mais duas facetas que se complementam.

O enoturismo é um segmento de atividade turística que vem conquistando cada vez mais adeptos, havendo regiões como o Douro e o Alentejo em que esta modalidade turística se encontra fortemente enraizada, tendo um impacto considerável na criação de emprego e no desenvolvimento da economia local, sendo que o vinho é um produto de exportação há séculos.

Atraídos pelo paladar e prestígio dos vinhos, mas também em busca da excelência gastronómica, da elevada qualidade do alojamento, da hospitalidade e do serviço, os enoturistas são um público que importa cada vez mais cativar.

O enoturismo surge ainda associado à fruição de paisagens deslumbrantes que despertam sensações únicas. O Alto Douro vinhateiro representa, em Portugal, esse expoente máximo, sendo considerado, desde 14 de Dezembro de 2001, pela Unesco, Património Mundial da Humanidade.

Falando da Unesco, lembram-se que ainda há um ano, o atual Executivo Municipal apregoava a intenção da candidatura do Centro Histórico da urbe viseense a Património Mundial?

Todavia, parece que, nesta matéria, não passaremos tão cedo do processo de intenções, ou seja, a este propósito podemos comparar o atual Executivo a um jovem casal de namorados que, no presente, faz planos para, num futuro longínquo, se houver condições e ainda gostarem um do outro contrair matrimónio

Aguardemos então com serenidade o desenrolar dos episódios seguintes na certeza, porém, de que as relações entre a autarquia e os comerciantes do Centro Histórico já conheceram dias mais amenos.

Mas retomando o assunto enoturismo, o mesmo vem a propósito da apresentação do Programa Viseu Rural, que tem a intenção de incluir Viseu na rede internacional das cidades vinhateiras.

Como diz António Gedeão na sua intemporal Pedra Filosofal quando o Homem sonha, o mundo pula e avança, por isso, tenho para mim que para alcançarmos tal desiderato ainda há muita broa de Vildemoinhos para comer.

Sobre este assunto, relembro o programa apresentado pelo CDS-PP nas últimas eleições autárquicas em que se destacava uma clara aposta na promoção do Vinho do Dão através da sua associação ao maior e mais antigo certame viseense que é a Feira de S. Mateus.

Por outro lado, aproveitaria o conhecimento e a experiência de outros concelhos vizinhos como Nelas e Penalva do Castelo, que têm longas tradições vínicas, para gizar um plano de ação conjunto com o apoio da CIM, CCDRC, CVR Dão e o Turismo do Centro.

    Até lá saúde e brindemos com um Dão!     

Carlos Cunha é militante do CDS-PP de Viseu e deputado na Assembleia Municipal. Licenciado em Português/Francês pela Escola Superior de Educação de Viseu concluiu, em 2002, a sua Pós Graduação em Educação Especial no pólo de Viseu da Universidade Católica Portuguesa.

Pub