A esperteza de Viseu

por PN | 2019.03.17 - 19:41

 

Vem aí o Futuro da Mobilidade.

As smart cities já tiveram a fase funicular, a “tomi”. E agora, que vamos nós enfim ter?

Vai debater-se com pompa, circunstância e cientificidade a estratégia & o exemplo. Matéria em que Almeida Henriques não precisava de mandar vir de fora tal diversificada plêiade de génios.

Virão explicar-nos até porque é que a empresa Berrelhas ganha sempre estes MUV’s concursos públicos. Ou já não são os Berrelhas?

Podíamos ouvir aí um dos prelectores, Ribau Esteves, falar da mobilidade em Aveiro. Tem lá umas “bugas” catitas e uns moliceiros eficientes. Ou o Natal, presidente da EMEL, para ensinar a “evitar” multas. Ele certamente percebe…

Há até um Limão que vai apresentar o MUV e ficámos mesmo a saber que o vereador JPG é o da mobilidade. Pormenor curioso, este pelouro ter falhado ao Sobrado.

Temos agora também uma novíssima frota de autocarros urbanos, decerto eléctricos, não poluentes, silenciosos, rápidos, sem motivos para não serem pontuais e cobrirem todas as áreas da cidade e arredores com toda a proficiência (ufa!). Só isto é motivo grado de profundo regozijo. Ou serão a gasóleo com 330 ou 420 cavalos? Não… decerto numa cidade tão esperta são eléctricos.

Também vamos ter, entre muitas outras inovações, as MUV Byke (não há uma Harley para alugar?) e muitas mais novidades que culminarão com uma catrefada de parques de estacionamento, à superfície e subterrâneos, entregues à Saba por… 30 anos? Claro que a rapaziada do executivo tem estacionamento certo, à borla e com “pilaretes” eléctricos para evitar usurpações. Mas eles, coitados, hão de ter alguma mordomia, não é? Os munícipes, esses… estão fartos delas, das mordomias, entenda-se.

Com tantas personalidade importantes e, decerto, cobertura do quotidiano CM, amigo desta urbe, Viseu vai ficar mesmo esperta. Aliás, esperteza, genialidade e inteligência, graças ao Altíssimo, é coisa que não falta ao nosso autarca-mor, um pioneiro que revolucionará num instante esta cidade (só precisa de mais meia dúzia de anos).

Por falar em buracos (para estacionamento, pois claro), não é que me atrasei a ver a grande muralha de Roma, lá em baixo na rotunda de Santo António e quando, finalmente, tanto a queria apreciar, já a enterraram por mais mil anos e uns larguíssimos milhares de euros… Ando mesmo desactualizado.

Já agora, saia uma pub à borla…

(Foto DR)