A determinação do Governo

por Manuel Ferreira | 2016.08.29 - 08:19

 

O Governo, ao contrário do que muitos gostariam, tem tido uma posição adulta e eficaz na gestão de alguns dossiers complexos. A título de exemplo, vou destacar duas situações que de forma célere tiveram intervenção e resolução firme por parte do Governo. Estamos a referir-nos ao caso dos incêndios e à recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD).

Relativamente aos incêndios, o Ministro da Agricultura cedo anunciou um apoio de 80% da despesa não coberta pelos seguros e de 50% para os agricultores sem seguros. Também decidiu dar apoios a fundo perdido, de modo a permitir a aquisição de animais reprodutores e de equipamentos e máquinas agrícolas perdidas durante os fogos.          Estes subsídios não reembolsáveis serão também extensivos ao  restabelecimento e povoamento das florestas afetadas pelos fogos, para proprietários públicos e privados das florestas. Para os primeiros, está destinado um bolo financeiro de 5 milhões de euros e, para os segundos, de 2,5 milhões. A preocupação com esta problemática é tão notória que o próprio  primeiro-ministro já convocou uma reunião do  Conselho de Ministros para outubro, de forma a que, para o ano, não estejamos outra vez a lamentar as situações agora ocorridas.

No que concerne à recapitalização da CGD, o Governo conseguiu uma boa solução com o acordo obtido em Bruxelas e em Frankfurt. É que este apoio ao sistema bancário não é contabilizado para efeitos de défice. Esta solução demonstra que vale a pena negociar com a Comissão Europeia e ter uma posição firme na defesa dos interesses de Portugal.

Os portugueses, por estes dois exemplos, podem sem dúvida estar decididamente tranquilos e confiantes. Estamos perante um Governo que se tem esforçado em inverter as políticas de austeridade e melhorar as condições de vida dos portugueses.

Manuel Ferreira tem 49 anos e nasceu em Lamego. Casado, dois filhos. É licenciado em Filosofia pela Universidade de Letras do Porto. Possui a Especialização em Administração e Gestão Escolar e é Mestre em Filosofia em Portugal e Cultura Portuguesa. Militante socialista desde 1996, foi membro da Assembleia Municipal de Lamego entre 1997 e 2001 e Secretário do Gabinete de apoio do pessoal do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lamego entre 2001 e 2005 e membro da Comissão Política durante vários anos. Atualmente é Presidente da concelhia de Lamego do PS e membro da Comissão Política da Federação de Viseu.

Pub