A democracia e a cultura política

por Manuel Ferreira | 2014.05.02 - 20:14

 

É essencial estar atento, ser exigente, reivindicativo e desconstruir a actual ideologia e prática política que a coligação do PSD e CDS-PP que governa o país está a levar a cabo. É que muitas das ideias que estão a ser defendidas e adoptadas têm revelado pouco respeito pelo regime democrático e pelos órgãos de soberania que o constituem e têm mostrado frágil consciência democrática, assim como pouco empenho no fortalecimento da democracia.

Não é possível defender os interesses de uma nação e de um país de modo racional e criterioso desprezando o método mais nobre e elevado de que a democracia dispõe, que são as eleições.

A democracia pode não ser perfeita, porém é o regime político que mais garantias dá na salvaguarda dos direitos humanos e da justiça global, pelo que se constitui como uma necessidade e um imperativo que legitima uma forma colectiva de vida e que nos defende contra tendências de poder autoritário, a prepotência e a insolência.

Nunca o Estado foi, na história do Ocidente, tão denunciado, repreendido e ostracizado, como nestes tempos na Europa e em Portugal através da política neoliberal.

É importante voltar a difundir e a reforçar a ideia de que a autoridade pública é necessária para ser possível reconstituir e dinamizar uma sociedade que afirme os princípios da igualdade, da liberdade e do respeito pela dignidade humana.

É importante não adulterar a discussão e imputar todas as responsabilidades e males que surgem na vida social e, por consequência, na vida pessoal ao sistema político, pois o problema, mais do que do regime ou do sistema político, é de cultura política.

A questão está nos indivíduos, que têm de voltar a ser cidadãos virtuosos, comprometidos com a realização e o aperfeiçoamento das suas vidas.

Manuel Ferreira tem 49 anos e nasceu em Lamego. Casado, dois filhos. É licenciado em Filosofia pela Universidade de Letras do Porto. Possui a Especialização em Administração e Gestão Escolar e é Mestre em Filosofia em Portugal e Cultura Portuguesa. Militante socialista desde 1996, foi membro da Assembleia Municipal de Lamego entre 1997 e 2001 e Secretário do Gabinete de apoio do pessoal do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Lamego entre 2001 e 2005 e membro da Comissão Política durante vários anos. Atualmente é Presidente da concelhia de Lamego do PS e membro da Comissão Política da Federação de Viseu.

Pub