A CGD, o “cobrador de impostos” e os outros…

por PN | 2019.06.07 - 12:33

Enquanto o ex-“cobrador de impostos”, actual CEO da CGD, vai inventando mais umas estratégias de sacar dinheiro aos pequenos e médios depositantes (que o alimentam), encarecendo prestações, querendo ir buscar às operações multibanco toda a espécie de comissões, pagando juros quase negativos e de forma alguma capazes  de fazer face à desvalorização, despedindo funcionários, fechando agências, implementando a “técnica dos mau serviço ao utente”, criando longas filas de espera pelas agências que ainda resistem, não assistindo devidamente as “máquinas” assazmente fora de serviço… tudo isto para, ele e seu staff, poderem usufruir de mordomias sibaríticas e poder apresentar, doa a quem doer – como fez na Saúde que ajudou a “enterrar” – lucros astronómicos e a qualquer custo aos accionistas, Estado inclusive.

No entrementes, vão começando a aparecer nomes reais (não virtuais) para os membros dos conselhos de administração que “lesaram” o banco público em milhares de milhões de euros – os tais que agora nós andamos a pagar, enquanto eles, os devedores, muito pândegos, se riem alarve e publicamente de todos nós.

Desde gonelhas a constâncios, bandeiras, farias, cardonas, varas e etc. e tal… será longa a lista dos responsáveis pelos empréstimos ruinosos aos berardos do regime e afilhados do Poder. Ou então, em retorcida dialéctica, será mais uma daquelas maquiavélicas “cabalas” urdidas contra os inocentes candidinhos habituais.

A sua soluçada e penosa passagem pela Comissão, na AR, tem um denominador comum: a amnésia. O que, para o lugar que ocupavam, para as funções que desempenhavam e para os proventos que auferiam… não é curricularmente abonatório, pois as patologias neurodegenerativas, a fazer fé na Wikipédia “são doenças em que ocorre a destruição progressiva e irreversível de neurónios, as células responsáveis pelas funções do sistema Nervoso. Quando isso acontece, dependendo da doença, gradativamente o paciente perde suas funções motoras, fisiológicas e/ou sua capacidade  cognitiva.”

Ou seja, existirá um vírus na CGD e no BdP que deve ser combatido com a maior urgência, sob pena de destruir gradualmente todos aqueles cerebrais génios, todos nomeados pela sua incomensurável competência técnico-científica e inquestionável mérito e rigor económico-financeiro.

Macedo, decerto, quando acabar de “espremer” os pequenos e médios clientes, irá à pesca grossa e, em três penadas, denunciará todos os seus antecessores com culpas no cartório. Alguém dúvida? Eu não, pois o eficaz “cobrador de impostos” é homenzinho para provar que é diferente dos outros…

Paulo Neto

https://www.publico.pt/2019/06/07/economia/noticia/constancio-omitiu-deputados-aval-operacao-berardo-caixa-1875619?fbclid=IwAR0A3Fwg5tOyy8nv37SwCvgR03rxgLt5WaObX29EPgxZKmHhttps://www.publico.pt/2019/06/07/economia/noticia/constancio-omitiu-deputados-aval-operacao-berardo-caixa-1875619?fbclid=IwAR0A3Fwg5tOyy8nv37SwCvgR03rxgLt5WaObX29EPgxZKmHHMuo1_t8NeqwHMuo1_t8Neqw