A BENEVOLÊNCIA DO PCP COM A COREIA DO NORTE

por José Carreira | 2016.01.08 - 09:33

 

 

No Conselho de Segurança, as resoluções sobre a Coreia do Norte enfrentam o veto da China, o único país aliado do regime comunista. O dueto conta com a aparente complacência do Partido Comunista Portugês.

Para a Coreia e China contarão pouco ou nada as tomadas de posição do PCP.

Para nós, portugueses, não pode deixar de ter impacto que tenha votado contra a condenação de crimes da Coreia do Norte.

O voto de condenação, referido num relatório apresentado pela ONU, destacou  execuções públicas, violações, torturas e outras “atrocidades apelidadas de `indizíveis´ que têm vindo a ser perpetradas”.

Não tendo sido oficialmente confirmada a notícia, foi avançado que o líder coreano terá mandado executar o tio, acusado de traição e corrupção, atirando-o a uma matilha esfomeada… Mito Coreano?

A existência de milhares de presos políticos, mantidos em condições indignas, não é um mito, é uma realidade do conhecimento da comunidade internacional. Não é aceitável que o PCP tenha votado contra uma deliberação do PSD, PS e CDS-PP a condenar os “crimes contra a Humanidade perpetrados pelo regime da Coreia do Norte”. Felizmente, os comunistas ficaram isolados na sua opção de voto.

Não compreendo e não aceito tamanha benevolência para com o regime de Kim Jong-Un.

O que dirá o PCP do anúncio público da realização de um teste nuclear com a bomba H? Um teste que viola novamente resoluções do Conselho de Segurança e da legislação internacional contra os testes nucleares.

Na guerra ficamos a saber muitas coisas…Não há fera pior do que o homem. É o homem que mata o homem, não é a bala. Matam-se uns aos outros… minha querida!” (Svetlana Aleksievitch, O Fim do Homem Soviético)