BESGATE

por Norberto Pires | 2014.07.31 - 11:37

O que está a acontecer no BES é de uma GRAVIDADE EXTREMA e é BEM A IMAGEM deste REGIME e da FALTA DE QUALIDADE E VERGONHA dos seus líderes. Coloca em causa quase todas as entidades públicas que nos últimos dias se apressaram a garantir tudo e mais alguma coisa sobre o banco, os administradores, etc.

Nas contas semestrais divulgadas ontem (30 de Julho de 2014) ficamos a saber:

1) O BES apresentou prejuízos superiores a 3.5 mil milhões de euros (Nota: eram 200 milhões há pouco mais de 1 mês e todos os responsáveis, incluindo Banco de Portugal, CMVM, responsáveis políticos, etc., garantiam ser suficiente a almofada financeira existente no valor de 2.1 mil milhões de euros);

2) O custo das imparidades detetadas é superior a 4.2 mil milhões de euros; 

3) A lista de irregularidades é de tal forma grave que não se percebe como é possível nunca ter sido detetada por reguladores, supervisão, etc. Especialmente nesta altura em que era suposto o país estar sob apertada vigilância da troika.

Nota muito importante: nas contas não está refletido o desastre que é o BES Angola (BESA) porque, assumem os auditores, as imparidades do BESA estão garantidas pelo Estado Angolano, como descrito na garantia pessoal do Presidente José Eduardo dos Santos. No entanto, como o BES tem 55,71% do BESA e o buraco no BESA é superior a 5.7 mil milhões ainda vamos ter surpresas por esse lado.

Relatório sobre as contas do 1º semestre de 2014

http://web3.cmvm.pt/sdi2004/emitentes/docs/FR51559.pdf

 

Comunicado do Banco de Portugal (retira direito de voto à família, suspende administradores, etc)

http://www.bportugal.pt/pt-PT/OBancoeoEurosistema/ComunicadoseNotasdeInformacao/Paginas/combp20140730.aspx

 

O Governador do Banco de Portugal AGORA, 1 ano depois, já admite consequências de índole criminal sobre Ricardo Salgado?

Ver notícia aqui.

 

Pergunta: Mas o governador do Banco de Portugal já se esqueceu do comunicado de 5 de Fevereiro de 2013 em que garantia não haver dúvidas sobre a idoneidade Ricardo Salgado? Ver notícia aqui de Fevereiro de 2013.

 

Outras perguntas relevantes:

Por que razão em Portugal nunca se tomam medidas preventivas, e quando algo sai da norma se iniciam investigações?

Por que razão se deixa tudo andar até que as coisas tomam dimensões gigantescas?

O “polícia” não pode ser responsabilizado pelo crime que não viu (essa responsabilidade é dos criminosos), mas deve ou não ser questionada a sua competência quando se percebe que teve indícios e, aparentemente, decidiu não valorizar ou não investigar mais a fundo?

Em que ficam as palavras dos altos responsáveis da nação, incluindo o Presidente da República e o Primeiro-Ministro, se o BES tiver de ser intervencionado com dinheiros públicos dada a mega-dimensão dos prejuízos?

Qual é o impacto deste mega desastre financeiro na gestão dos fundos comunitários do QREN, sabendo que o BES alavancou uma parte muito significativa de investimentos financiados pelo QREN relacionados com obra pública?

Como é possível isto acontecer, sem o mínimo de informação prévia, num banco líder em Portugal (com mais de 20% de cota de mercado), essencial às PME, financiador do Estado, etc., ou seja, com impacto verdadeiramente sistémico, depois da mega vergonha e descalabro que é o BPN?

Como é possível entender as várias declarações de responsáveis do REGIME feitas ao longo deste tempo, em que desvalorizavam tudo e todos, perante a enormidade e gravidade das informações reveladas ontem?

Como é que perante este descalabro ninguém está preso?

Nota: nos poucos minutos que demorei a escrever este texto o BES perdia 1000 milhões de euros em bolsa, caindo mais de 51% e já valia menos de 970 milhões.

 

Professor Associado da Universidade de Coimbra foi Presidente do Conselho de Administração do Coimbra Inovação Parque e Membro do Conselho Nacional para a Ciência e Tecnologia. Possui Mestrado em Física Tecnológica e Doutoramento em Robótica e Automação pela Universidade de Coimbra. É o Editor do jornal "Robótica". Autor de cinco livros na área da robótica e automação tendo publicado mais de 150 artigos científicos e tecnológicos.

Pub