2014 E a ternura dos quarenta

por João Figueiredo | 2014.01.07 - 20:50

É tradição, nesta época, desejarmos as maiores felicitações e formular os melhores desejos para o ano que agora começa.

Este ano não é exceção.

Desejo que o ano de 2014 proporcione, a todos, a esperança reforçada numa sociedade ainda mais justa, humana e solidária.

Desejo, também, que 2014 seja um ano de franca e profunda viragem, no país, na nossa forma de pensar, de agir e na tomada de decisões que têm consequências nas gerações vindouras.

No ano em que se comemoram 40 anos de revolução de Abril importa refletir profundamente não só no percurso que fizemos até aqui mas também, essencialmente, naquilo que queremos fazer no futuro.

Ao contrário do que muitas vezes se ouve por aí, estes 40 anos foram, comprovadamente, de franco progresso e desenvolvimento bem visível em vários setores da nossa sociedade

Se atendermos aos diferentes indicadores concluímos que a Revolução dos Cravos, transformou, para melhor, a sociedade portuguesa. A título de exemplo refiro os seguintes indicadores: a mortalidade infantil, na época, era de 38 óbitos em cada mil nascimentos, tendo baixado, para três; o analfabetismo baixou de 35% da população para 3%; os portugueses que têm acesso a água canalizada passaram de 49% para 99%;

São evidências que ninguém pode negar.

Mas existem outras que também não podemos esquecer.

A par do progresso verificado, também existiram muitos excessos. E que excessos! Nomeadamente no muito dinheiro que foi desperdiçado e que hoje nos faz tanta falta.

Festejar 40 anos, na nossa vida, é sinónimo de maturidade, de balanço e ajustamento do trajeto que temos vindo a percorrer.

Esses pressupostos também devem existir na vida do nosso país.

Não podemos cometer os erros e os excessos, nomeadamente, do passado recente pelo que os meus votos, neste início de ano, também incluem o desejo que as comemorações dos 40 anos de Revolução de Abril se constituam como momento de reflexão quanto ao modelo de desenvolvimento do nosso país, no futuro, e assim contribuir para sairmos da encruzilhada que dolorosamente nos tem acompanhado nos últimos tempos.

Votos de um ano novo repleto de paz, saúde e esperança para todos.