Um euro por uma uma caçoila em barro negro de Molelos e sopa para três dias? Só em Sernancelhe.

por Paulo Neto | 2014.02.16 - 20:28

Há muito que esta autarquia nos habituou ao rigor dos eventos que organiza.

Este foi mais um caso de sucesso. A proposta era: “Venha provar gratuitamente as sopas típicas da região.”



Chegávamos ao multiusos e, à entrada, por 1 € para os três dias 14, 15 e 16 de Fevereiro, comprávamos uma caçoila em bom barro negro de Molelos e uma colher. A partir daí era degustar as 14 propostas colocadas à disposição do visitante em outras tantas “tendinhas” representativas das freguesias e associações locais.

Sopas de Peixe, de Cebola, de Feijoca à Zebreira, de Feijão, de Pica-Peixe, à Lavrador, de Javali, de Gravanços com Bacalhau, de Matança do Porco, de Cogumelos, Canja de Feijoca, Creme de Castanha, Caldo Verde Gourmet e Caldo de Castanha.

Provámos de todas e a todas achámos deliciosas. Havia ainda complementos para os mais ousados: javali e trutas de escabeche, queijo apimentado da Lapa, fálgaros da Tabosa e profusão de enchidos.

Os visitantes acorreram aos milhares e as três mil caçoilas esgotaram…

Actuaram os Tocadores de Concertina da Terra da Castanha, os Ranchos Folclóricos de Palhais e Benvende, das Arnas, Cancioneiro de Folgosinho, de Granja do Tedo, de Moimenta da Beira, de Fafel, de Torredeita, de Paredes de Coura e de Sernancelhe.

O presidente da autarquia expressava o seu contentamento pelo êxito. Carlos Silva, um organizador nato, disse ao Rua Direita: “Um primeiro evento desta natureza é sempre uma incógnita ponderada. Não temos a certeza de como vai ser acolhido. Por isso, não deixámos nada ao acaso e a organização primou pelo seu cuidado não descurando o mais ínfimo pormenor. Ontem, na abertura contámos com Telmo Antunes, presidente da Segurança Social e meio milhar de pessoas que, apesar de ser um fim de tarde de 6ª feira e o tempo estar agreste, aderiram à iniciativa. Hoje, é o que vê… casa cheia e muitos amigos entre eles o meu colega de Penedono, Carlos Esteves, o director financeiro do Grupo PSA – Mangualde, Elísio Oliveira, Pedro Calheiros, coronel da GNR, etc.

Veio gente de todo o distrito e de vários pontos do país. Tentámos recriar vivências de outrora, em cenários fidedignos de interiores de habitações do passado e, na gastronomia, toda uma tradição em que Sernancelhe é pródiga e ancha.

Amanhã, domingo, é o dia grande e esperamos muitos mais visitantes. Já não é prematuro afirmar que esta iniciativa tem um êxito tal que passará a enquadrar-se num plano anual de actividades da autarquia, visando divulgar Sernancelhe, suas qualidades, seus produtos e propiciar aos visitantes uma experiência diferente, revivalista e… muito saborosa!”

Tivemos ainda ocasião de falar com o autarca cessante, José Mário Cardoso, que também nos manifestou a sua satisfação: “ Sernancelhe é um concelho com iniciativa, com potencial e a prova está à vista com a pluralidade de propostas que oferece e com o retorno bem patente na adesão e regozijo dos visitantes. “