TEATRO VIRIATO – Setembro a Dezembro

por Rua Direita | 2014.09.03 - 13:53

 

NOVA TEMPORADA

 

A programação de teatro vai ser riquíssima porque vamos conseguir aliar encenadores de reconhecido mérito, com outros mais jovens, com peças que foram reconhecidas pela Sociedade Portuguesa de Autores. Será uma programação abrangente e intensa. Na dança, temos a programação mais concentrada no ciclo New Age, New Time. A música estender-se-á ao longo da temporada com momentos especiais como a revelação de Adriana Queiroz (ex-bailarina) e o como o concerto da Orquestra de Jazz de Matosinhos com o Trio Azul do Músico Carlos Bica. No novo circo, apresentamos o espetáculo Timber, de uma companhia do Canadá, que não pode passar ao lado da cidade. Com esta apresentação, iniciamos, por um lado, uma parceria com o Teatro Nacional São João e com o São Luiz Teatro Municipal no que toca ao novo circo, mas por outro lado damos o primeiro passo de um projeto maior que será o Circus Lab, vocacionado para o novo circo e que avançará no próximo ano. / Paulo Ribeiro, durante a apresentação da programação de SET a DEZ’14

 

O dossiê de imprensa com toda a informação sobre a programação de setembro a dezembro está disponível para download no site do Teatro Viriato em: http://www.teatroviriato.com/pt/press-releases/

 

Pela terceira vez, os Artistas Unidos escolhem o Teatro Viriato para estrear um novo trabalho, no arranque da nova temporada. O próximo quadrimestre, setembro a dezembro, conta ainda com as estreias do novo projeto com a comunidade, desenvolvido pelo coreografo André Mesquita, e do filme-concerto que será musicado ao vivo, com banda sonora composta pelo diretor do Conservatório Regional de Musica de Viseu, Jose Carlos Sousa. A palavra estará em destaque ao longo dos próximos quatro meses de programação com a apresentação de produções de teatro de encenadores que tem vindo a conquistar um espaço importante no panorama português, impulsionados pelo reconhecimento internacional. Mantendo uma clara aposta na sensibilização de públicos para a dança contemporânea, o Teatro Viriato promove a terceira mostra de danca New Age, New Time. Na música, para alem da continuada promoção de cafés-concerto, destaque para a atuação da Orquestra Jazz de Matosinhos com o trio de Carlos Bica a encerrar a temporada.

 

 

A nova temporada abre com a estreia de Gata em Telhado

de Zinco Quente (19 e 20 de setembro), uma produção dos Artistas Unidos, que viaja ate ao trágico sul de Tennessee Williams, onde tudo se agita por dinheiro. Peça imortalizada pelo cinema de Hollywood, e recuperada pelo encenador Jorge Silva Melo que se propõe a abordar os dilemas, a ansiedade e a sofreguidão intensa que vivem todas as personagens. Artista residente do Teatro Viriato em 2014, o coreografo André Mesquita apresenta um novo trabalho desenvolvido com a comunidade. Em Nós – Isto é omeu corpo (26 e 27 de setembro), o coreografo e 17 participantes tentaram pensar, ao longo de um processo criativo de cerca de dois meses, num conjunto de possibilidades sobre o nos e sobre a sociedade.

 

O mes de outubro abre com um café-concerto com o coletivo Malus (08 de outubro), composto por três improvisadores com carreiras consolidadas e que apresentam em Viseu o seu disco de estreia. Simão do Vale, jovem criador que tem feito o seu percurso formativo e artístico em Itália, regressa a Portugal para explorar um dos seus textos (Hamlet), um dos seus autores (Shakespeare) e uma das suas personagens favoritas (Gertrude). A partir deste texto, ele cria uma nova dramaturgia centrada em Gertrude (11 outubro), mãe de Hamlet, rainha estrangeira, que se vê isolada numa corte portuguesa. O encenador faz-se acompanhar da atriz italiana Fiammentta Bellone. Depois de uma primeira apresentação durante o festival VISEUA 24 MAI a 01 JUN, o mundo mágico das sombras de Miraginava (16 a 18 de outubro) regressa ao Teatro Viriato. Neste espetáculo, que tem como ponto de partida a obra poética de Lourdes Castro, as interpretes Leonor Keil e Margarida Gonçalves convidam a descoberta de sabores, cheiros, olhares e sensações diversas. Proporcionando um verdadeiro exercício de cidadania, Nacional Material Paisagem com Argonautas (22 a 25 de outubro) desafia o público a integrar uma performance-debate que versa sobre a imigração. Em cada sessão do espetáculo, caberá ao público decidir o destino da imigrante Medeia.

 

O mês de novembro inicia com música, com o concerto Tempo (01 de novembro), no qual Adriana Queiroz cria paisagens sonoras que transportarão o público para o universo da música francófona. O Trigo Limpo Teatro ACERT apresenta no Teatro Viriato O Fascismo dos Bons Homens (07 e 08 de novembro), uma peca de teatro inspirada no romance de valter hugo mae, A Máquina de Fazer Espanhóis. A jovem companhia circense do Quebec, Cirque Alfonse, cujos fundadores trabalharam com as mais importantes companhias de circo de renome internacional, apresentam-se pela primeira vez em Portugal no Teatro Viriato com Timber (14 a 16 de novembro), um espetáculo de novo circo inspirado nas façanhas dos primeiros lenhadores e madeireiros Norte-Americanos e no mundo de silvicultura da pequena quinta da família. Em Timber, o odor a pinheiro acabado de cortar funde-se com a banda sonora folk tradicional e com os invulgares aparatos acrobáticos. O espetáculo e apresentado em parceria com o São Luiz Teatro Municipal (21 e 22 de novembro) e com o Teatro Nacional São João (28, 29 e 30 de novembro). Mantendo a parceria com o Cine Clube de Viseu, o Teatro Viriato volta a promover a estreia de mais um filme-concerto. Number, Please? e Viagem à Lua (26 de novembro) serão musicados ao vivo pelo diretor do Conservatório Regional de Musica, José Carlos Sousa, autor da composição da banda sonora. O mês encerra com a história trágica de Yerma (29 de novembro), uma adaptação do poema de Federico Garcia Lorca pelo encenador João Garcia Miguel. Este espetáculo foi considerado pela Sociedade Portuguesa de Autores o Melhor Espetáculo de2014.

 

Dez Anos Depois nas Montanhas (03 de dezembro) e uma conferencia-performance na qual Luís Costa e Manuela Barile dão a conhecer o trabalho desenvolvido pela Binaural/Nodar ao longo dos seus 10 anos de existência. Para o publico mais jovem, o Teatro Viriato propõe Peregrinação (04 a 06 de dezembro). Marcelo Lafontana recupera a viagem narrativa do descobridor Fernão Mendes Pinto e cruza o seu Teatro de Papel com os recursos audiovisuais e do multimédia. Num palco transformado em estúdio de cinema, cenários e personagens desenhados e recortados em cartão são manipulados perante o olhar de câmaras de vídeo. Com o intuito de dinamizar o reportório para Viola Solo e Eletrónica, o músico João Pedro Delgado (10 de dezembro) ocupa o palco do foyer para um café-concerto que coloca em contraste o universo eletrónico e as obras para viola solo. O mes de dezembro fica ainda marcado pela apresentação da peca Cyranode Bergerac (12 e 13 de dezembro), numa readaptação do clássico de Edmond Rostand pela companhia Primeiros Sintomas. Dada a complexidade no que toca ao numero de personagens que recriam os ambientes e contribuem para os discursos da peca, a companhia Primeiros Sintomas ira levar a cabo um Workshop para Figurantes de 03 a 08 de dezembro. A temporada encerra com um concerto a não perder porque junta em palco a Orquestra Jazz de Matosinhose Trio Azul (19 de dezembro), coletivo do contrabaixista Carlos Bica. Este concerto estreia em dezembro, primeiramente, na Casa da Música e viaja de seguida para Viseu e para Culturgest (Lisboa).

 

No âmbito do Sentido Criativo, a temporada de setembro a dezembro terá uma componente muito forte de formação para professores, educadores de infância e para profissionais que trabalham com públicos com necessidades especiais. Numa parceria com o Ministerio da Educacao e da Ciencia, o Teatro Viriato promove a Oficina de Teatro (11 de setembro a 31 deoutubro) para Educadores de Infância e Professores e que será orientada pelo encenador Graeme Pulleyn. Esta ação de formação será creditada pelo CCPFC. O diretor do grupo Dançando com a Diferença, Henrique Amoedo, desenvolvera em Viseu, de 20 de outubro a07 de dezembro, um trabalho de sensibilização para a inclusão através da dança com diversas instituições da região que prestam apoio a pessoas com deficiência.

Para os Educadores de Infância e professores que também trabalham com cidadão portadores de deficiências, o Teatro Viriato sugere a ação de formação Museu Aberto: Mediar públicos com necessidades especiais (01 a 03 de novembro), que terá um cariz teórico-prático e pretende apresentar, discutir e explorar algumas das estratégias seguidas pela equipa de Necessidades Educativas Especiais do Programa Gulbenkian para a Educação, Cultura e Ciência. Também esta formação será creditada pelo CCPFC. Estreado em outubro de 2013, Vissaium (13 e 20 de setembro) regressa novamente para percorrer as ruas de Viseu e dar a conhecer o património arqueológico da cidade. O espetáculo só será novamente apresentado em 2015. Com o intuito de preparar o novo espetáculo intitulado The Wall, Miguel Fragata proporciona encontros (31 de outubro a 01 de novembro) com crianças, famílias e professores para refletirem em conjunto sobre o que separa e o que une adultos e crianças. Pelo terceiro ano consecutivo, o Teatro Viriato apresenta New Age, New Time (19 a 22 de novembro), uma mostra de dança contemporânea onde os coreógrafos nacionais têm oportunidade de dar a conhecer as suas mais recentes criações. O programa para estes quatro dias inclui Play False de Antonio Cabrita e São Castro (19 de novembro), Something Still Uncaptured de Maria Ramos (20 de novembro), a estreia absoluta de E Pur Si Muove de Francisco Camacho (21 de novembro) e Landing de Ne Barros (22 de novembro). A terceira edição deste ciclo estende-se a Escola de Dança Lugar Presente, uma vez que os coreógrafos presentes na mostra irão ministrar aulas abertas destinadas a todos os interessados em dança contemporânea. Os participantes terão a oportunidade de aprofundar conhecimentos com coreógrafos e bailarinos que são uma referência a nível nacional.

 

De 19 de setembro a 19 de dezembro, para ver no Foyer do Teatro Viriato a exposição Léxico Dançante, que reúne imagens da segunda edição da mostra NewAge, New Time, da autoria do fotógrafo Jose Alfredo.

 

AFR

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub