Sernancelhe tem seis produtos agroalimentares estratégicos para o Concelho

por Rua Direita | 2019.12.19 - 13:13

O Concelho de Sernancelhe sabe, de agora em diante, que tem seis produtos agroalimentares endógenos que são referências económicas e com grande potencial para projetar o território, também do ponto de vista do turismo.

Foi esta uma das certezas deixadas pelo Vereador da Cultura do Município, Armando Mateus, ontem, 18 de dezembro, no Centro de Artes, aquando da apresentação oficial do estudo “Setor Agroalimentar de Sernancelhe, Diagnóstico e Perspetivas de Futuro”, desenvolvido no âmbito do “Projeto Crescer+Inovador”, que teve como promotor a Associação Comercial e Industrial de Sernancelhe (ACIS) e parceiros o Município e a Associação Sementes da Terra.


Castanha, Maçã, Vinho, Mel, Azeite e o Queijo da Lapa são os produtos que diferenciam a agricultura de Sernancelhe, como resulta deste estudo, que auscultou os agricultores e apontou um modelo de desenvolvimento sustentável para a região, visando fomentar a inovação e promover as empresas do Concelho, tornando-as mais dinâmicas e competitivas.

No evento, que contou com a presença de diversos produtores, Armando Mateus, Vereador do Município, referiu que este estudo é um “ponto de partida, pois reconhece que a nossa agricultura tem dimensão e tem produtos de grande qualidade”. Referindo tratar-se, em primeiro lugar, de “um diagnóstico”, entende que, de agora em diante, os agricultores e as empresas passam a ter também um documento que traça perspetivas de futuro e pode ser decisivo na elaboração de candidaturas a apoios
comunitários ou para novos investimentos.


Na opinião de João Aguiar, Presidente da ACIS, o documento “reflete ainda novos ensinamentos sobre a agricultura e sobre os produtos que mais nos identificam”, reconhecendo, por isso, que o livro que agora fica disponível é “importante porque traz novos conceitos e novas perspetivas do setor primário”, apontando para a importância de estarem associadas aos nossos produtos dinâmicas como internacionalização ou imagem.


Por seu turno, Filipe Brízida, da Índice Consultores, empresa responsável pelo estudo sobre o Setor Agroalimentar de Sernancelhe, explicou que o trabalho apresentado é a última etapa do projeto Crescer+Inovador, que contemplou ações como um Plano de informação estratégica sobre esta
temática, a realização de jornadas técnicas, a presença digital através de uma plataforma tecnológica com central de compras e aplicação móvel, atividades de promoção do projeto e acompanhamento e avaliação.
De resto, aquele responsável reforçou que o trabalho veio dar a conhecer e potenciar “produtos autênticos, com centenas de anos de existência, que caraterizam o concelho”, fazendo parte da sua história e cultura, precisamente o que hoje o turismo procura. Filipe Brízida disse ainda que “este estudo procurou caraterizar o concelho, os produtos e dar a conhecer as linhas de orientação para o que poderá ser feito para potenciar a região”, desejando que o mesmo possa contribuir para impulsionar os produtos, os agricultores e as empresas.


O estudo, financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional da Região Norte, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, está disponível no sítio Crescer+Inovador,
https://crescermaisinovador.pt/project onde estão elencados os produtos e seus produtores e está disponível uma loja online, um espaço de Benchmarking para partilha de ideias e das boas práticas, ideias de projetos, modelos de negócio, desenvolvimento de novos produtos e serviços, práticas de negócio, novas metodologias de produção e promoção de novos produtos.

Paulo Pinto

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub