Sala foi pequena para ouvir Francisco Moita Flores

por Rua Direita | 2016.04.06 - 08:38

 

 

Falou do livro (não muito para não desvendar o enredo), contou histórias (da vida real e ficcionada), fixou-se em personagens, mas o entusiasmo maior sentiu-se (nos gestos e no tom de voz) cada vez que falava da importância da língua portuguesa no mundo, essa língua restaurada e consolidada com a Restauração da Independência, em 1640, sob a égide de D. João IV.

“Se não fosse isso, hoje seríamos uma língua regional, confinada a um espaço territorial restrito. Mas o feito de 1640 fez com que a língua se expandisse, e hoje somos mais de 250 milhões de falantes”, lembrou Francisco Moita Flores, este sábado, 2 de abril, em Moimenta da Beira, numa sala que foi pequena para o ouvir apresentar, a convite da Câmara Municipal de Moimenta da Beira, “O Dia dos Milagres”, o seu último romance. Foi uma noite histórica!

 

Rui Bondoso

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub