Sabe escolher bacalhau? Sabe demolhar bacalhau? Sabe cozer bacalhau?

por Rua Direita | 2019.12.18 - 12:15

Ainda vai a tempo de preparar o melhor Bacalhau para o Natal!

Três perguntas simples, com três respostas igualmente simples, em dicas que lhe vão permitir pôr na mesa de Consoada um Bacalhau fantástico e cozido, como manda a tradição!  Apesar de não ser pescado em águas portuguesas, o Bacalhau é o prato nacional e o ingrediente que associamos ao Natal.

Estima-se que 29% do total do consumo de bacalhau em Portugal ocorra na época natalícia e que, na noite da Consoada, sejam comidas entre 4 mil e 5 mil toneladas de bacalhau. Quanto à sua origem, 70% de todo o bacalhau consumido em Portugal é bacalhau da Noruega. Um bacalhau seco e salgado inteiro aproveita-se na íntegra, correspondendo cada parte a receitas diferentes, e ainda cresce cerca de 35% durante o processo de demolha!

Escolher e comprar – Para ser um excelente bacalhau não precisa de ser o mais caro da loja, mas convém conhecer a sua origem! Escolha um Bacalhau bem seco, com boa altura junto à espinha central, de cor palha e feito a partir de peixe fresco. O verdadeiro Bacalhau é da espécie Gadus Morhua e vem do Mar da Noruega. As imitações até podem não ser más, mas não são a mesma coisa… Peça para o cortarem às postas e prepare-se para o demolhar!

Demolhar – A duração do processo de demolha depende da espessura do peixe e da sua cura, demorando habitualmente cerca de 48 horas. Para obter o resultado perfeito, siga estas instruções simples:

Retire o excesso de sal das postas em água corrente.

Coloque o peixe numa recipiente grande com três vezes mais água do que peixe, mantendo-o num ambiente fresco, a cerca de 6-8°C, durante todo o processo (pode fazer a demolha no frigorífico). 

As postas deverão ser colocadas com a pele virada para cima.

Troque a água do recipiente a cada oito horas. O peixe deverá estar pronto a ser cozinhado após 48 horas. Pode retirar as postas mais finas da demolha mais cedo.

Caso queira congelar o peixe depois de demolhado, escorra as postas e seque-as bem (com papel absorvente ou um pano) antes de as congelar.

Cozer – Coloque água a ferver numa panela, com altura suficiente para cobrir o bacalhau. Assegure-se de que a posta não está congelada. Quando a água estiver a ferver, coloque o bacalhau, tape a panela, desligue o fogão e aguarde 10 a 15 minutos, dependendo da altura da posta. Sim, leu bem. Tem de desligar o fogão quando colocar o bacalhau na água a ferver! Não “estrague” o bacalhau cozendo-o desnecessariamente! Este processo irá garantir um bacalhau com lasca perfeita, suculento e saboroso. Escorra o bacalhau e leve-o à mesa de Natal. Acompanhe com um sorriso.

A RAZÃO PARA O SUCESSO DO BACALHAU DA NORUEGA: A ORIGEM IMPORTA!

O Bacalhau da Noruega foi este ano, e pela 7ª vez consecutiva, a ‘Escolha do Consumidor’ em Portugal na categoria de Bacalhau Salgado Seco, concorrendo com origens como Canadá, Islândia e Pacífico. Os principais atributos identificados relativamente ao Bacalhau Seco Salgado da Noruega foram o aspeto e a aparência, a boa relação qualidade-preço, o estado de conservação, a notoriedade da marca, o país de origem, a qualidade do produto, o tamanho, a altura e a espessura e por fim, a sustentabilidade do produto. 

Portugal é o principal cliente da Noruega ligado à indústria do bacalhau, consumindo cerca de 70.000 toneladas de bacalhau seco salgado por ano, e isto deve-se à importância que este produto tem na cultura gastronómica nacional. As empresas e os consumidores portugueses podem ter a certeza de que têm no setor do bacalhau norueguês o seu melhor aliado na defesa da qualidade do produto. Ao escolher Bacalhau da Noruega os consumidores portugueses terão a garantia que estão a consumir um produto excecional.

Os produtos do mar da Noruega crescem lentamente nas águas geladas, desenvolvendo o sabor e textura perfeitos. Apesar de ser um país pequeno, a Noruega é o segundo maior exportador mundial de produtos do mar. A Noruega desenvolveu-se tendo por base o setor das pescas, com tradições sólidas fundamentadas no saber fazer e no respeito pela natureza. Atualmente, é um país conhecido em todo o mundo pela forma sustentável como gere os seus recursos marinhos.

O verdadeiro Bacalhau da Noruega tem o seu segredo na origem, sendo feito a partir de peixe da espécie Gadus Morhua cuidadosamente seco e salgado. Bem seco e curado, com cor palha, depois de capturado o Bacalhau da Noruega é preparado de modo tradicional, seguindo os mais elevados padrões de qualidade. A Noruega tem as maiores reservas de bacalhau do mundo, geridas de forma absolutamente sustentável para garantir a preservação deste tesouro para as gerações futuras. Os cardumes de bacalhau migram, percorrendo longas distâncias em águas límpidas e frias, desde o Mar de Barents até à costa norueguesa, um comportamento que contribui para o excelente sabor e textura perfeita do Bacalhau da Noruega. A forma como lasca é única e a singularidade do seu sabor também se deve a uma alimentação composta por camarão, arenque, capelim e caranguejo.

A nova marca registada “Seafood from Norway” é um símbolo de origem e qualidade para todos os produtos do mar da Noruega, sejam de aquacultura ou selvagens. Porque não há dúvidas: A origem importa!

Sofia Fernandes  

(Fotos DR)

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub