Rúben Silva, um menino de Sernancelhe com génio de campeão

por Paulo Neto | 2013.11.28 - 21:02

Rúben Silva tem apenas dez anos de idade. É natural da Faia, Concelho de Sernancelhe, e, já este ano, sagrou-se Bi-campeão da Taça de Portugal de Karting, foi Campeão da Taça dos Campeões, Campeão do Troféu Nacional Rotax e 5º classificado no Rotax Series, em Espanha. Tendo começado a andar de kart aos três anos de idade, foi convidado para piloto de oficial da  Tony Kart, a mais importante equipa de kart do nosso País. Francisco Silva e Dalila Sobral são os pais do Rúbel, que assumem aos fins-de-semana os papéis de chefes de equipa, mecânicos e gestores da carreira do menino que acalenta o sonho de ser piloto da Formula 1. A ESPROSER – Escola Profissional de Sernancelhe patrocina Rúben Silva nesta brilhante carreira desportiva.

O belo cenário das águas do Rio Távora a banharem as margens da aldeia da Faia é a inspiração diária de Rúben Silva, que frequenta o 5º ano do Ensino Básico, com boas notas, e ambiciona ser Engenheiro mecânico. A calma que demonstra, a forma decidida como se expressa, o ar de quem está acostumado a estar à frente de microfones e a conversar com jornalistas, só encontra par na tranquilidade das águas que vê da janela do seu quarto quando, à sexta-feira, se prepara para fazer centenas de quilómetros para treinar e competir nos diversos kartódromos do nosso País. A carrinha do Pai é o meio de transporte obrigatório e o mais perfeito exemplo da maximização do espaço, garantindo ao Rúben viagens cansativas mas bem sucedidas.

 

Talento descoberto aos 3 anos de idade

Tem sido assim desde que, ainda mal tinha completado três anos de idade, o pai, Francisco Silva, o levou ao kartódromo de Vila Nova de Paiva e Rúben “bateu o pé” para andar num kart. O pai fez-lhe a vontade mas “atou uma corda ao kart” e correu atrás dele para evitar que alguma coisa de menos boa acontecesse. Ao fim de três voltas, retirou a corda e o Rúben já andou sozinho na pista, regressou à zona da boxe e “fez tudo direitinho, com muita tranquilidade”.

Rapidamente perceberam que, mais do que o gosto por andar de kart, Rúben parecia saber bem o que queria e parecia possuir uma aptidão natural para o desporto automóvel. É que, não era todos os dias que se via uma criança com três anos com tamanha noção do sentido da pista, do controle do kart e de espaços como a boxe, onde se para. Ainda que “sem saber ler nem escrever, mas com uma capacidade de memorizar fantástica”, recorda Francisco Silva, foi inscrito na Escola de Karting, em Braga, onde muito rapidamente deu provas, ao obter três diplomas de mérito.

Tinha, contudo, um problema: era demasiado novo e a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting era bem específica ao dizer que só podiam competir em provas oficiais meninos com seis anos. Mais uma vez, Rúben Silva mudou as regras. Foi o primeiro menino com cinco anos a competir e, com ele, outros passaram a poder fazê-lo em Portugal antes dos seis anos de idade. Estávamos no ano 2010 e o menino da Faia surpreendeu tudo e todos quando conquistou o título
de Campeão do Troféu Nacional Rotax, onde em 16 corridas obteve 10 vitórias.

Estava definitivamente lançado na alta-roda da competição. Em 2011 subiu um novo patamar e, apenas com sete anos, decidiu competir com meninos dos 8 aos 10 anos de idade. Terminou o Campeonato Nacional de Karting desse ano em 7.º, entre 18 pilotos, e conseguiu ser o “rookie” (novato) do ano.

O génio competitivo de Rúben Silva levou-o, em 2012, a disputar campeonatos bem mais exigentes no nosso País: o Campeonato Nacional de Karting e o Baltar Kart Cup. No primeiro foi vice-campeão e no segundo foi campeão. Tanto talento foi naturalmente percebido por todos, tendo o Rúben sido convidado pela organização do mundial do Rotax a disputar as Finais Mundiais de Karting, no Kartódromo do Algarve, estando entre os melhores da competição. Todo este percurso explica que, no final de 2012, o menino de 10 anos que vive na margem esquerda do Rio Távora, no Concelho de Sernancelhe, fosse conhecido por estar no top 3 do ranking nacional de pilotos.

2013 está a ser o ano da consagração do talento, capacidade e de uma enorme força em vencer cada corrida que disputa. Presença frequente nas mais importantes revistas da modalidade, na internet e em canais de desporto como o Eurosport ou a Sportv, Rúben mantém a serenidade que o caracteriza. Contou, pela primeira vez este ano, com a ajuda de um mecânico especializado. Do seu kart de 85 centímetros cúbicos consegue retirar a potência que lhe permite andar sempre na frente. Assim voltou a fazer há poucas semanas, em Braga, tendo renovado o título de Campeão da Taça de Portugal de Karting. O sótão de sua casa é a sala de troféu. Ultrapassam já as duas dezenas e Rúben exibe com orgulho a que conquistou no Rotax. Percebe-se, pela quantidade de miniaturas de carrinhos, que os automóveis e a competição começaram em criança, estão no menino e acompanhá-lo-ão sempre.

 

O sonho de chegar à Fórmula 1

Outros voos esperam Rúben Silva em 2014. A par dos campeonatos nacionais, o pai, Francisco Silva, quer que o filho tenha a possibilidade de participar em provas em Espanha e Itália, referências europeias no desporto automóvel. “Não posso parar de o ajudar depois do sucesso que tem tido. Não posso parar”, garante Francisco Silva, sem deixar de recordar que cada prova representa perto de dois mil euros de despesas, entre deslocações, dormidas, assistência mecânica, aluguer de pista e inscrições. Por temporada realizam-se 13 corridas, ficando os kartódromos mais próximos em Braga e depois Viana do Castelo.

Rúben Silva é um menino que cativa. A humildade é sem dúvida uma qualidade que tem. “Nunca esperei que fosse tudo tão depressa”, diz, ao mesmo tempo que assume ter sido difícil correr, por exemplo, entre os melhores do Mundo, como aconteceu no Kartódromo do Algarve. Em tão poucos anos de competição, Rúben acalenta o sonho de disputar, de 2014 a 2016, os campeonatos de Karting Portugal e Espanha, de 2017 a 2019, participar nos campeonatos Europeus e Mundiais de Karting e, entre 2020 e 2022, competir no Europeu e Mundial de Formulas, alcançando, em 2023, a Fórmula 1.