Poluição no Rio Pavia

por Rua Direita | 2019.07.25 - 21:13

No dia 24 de Julho de 2019, o Bloco de Esquerda constatou no local o estado deplorável em que se encontra o curso de água do Rio Pavia localizado entre o Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental (CMIA) e o recinto da feira semanal, atravessando o Centro Comercial Fórum e a Casa da Ribeira.

Lamentavelmente, a situação por nós encontrada excedeu os relatos que nos foram entregues. Podemos observar e documentar o que se assemelha a uma descarga de esgotos – tendo em conta que parte dos objetos estranhos encontrados no Rio eram dejetos – líquidos não identificados e dezenas de peixes mortos. A água apresenta um misto de cor verde, das algas formadas pelo excesso de matéria orgânica,  e cor castanha desta mesma matéria. Também à superfície da água se observam manchas que indicam a presença de óleos ou outros produtos gordurosos.

Após esta documentação, o Bloco de Esquerda iniciou o processo de queixa no local, através do serviço de atendimento telefónico SOS Ambiente, e enviou posteriormente os vídeos e fotografias recolhidas para a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA-GNR) e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

No mesmo dia, foram igualmente informados e questionados o Município de Viseu, a Junta de Freguesia de Viseu e as Águas de Viseu.

A situação a que assistimos hoje não é de todo recente! É diariamente perceptível o nível de poluição presente no Rio Paiva, que impede a sua regeneração, consequente sobrevivência da fauna e flora natural, como os peixes e as lontras, e ajuda à proliferação de espécies invasoras, como os lagostins. Não obstante, é amplamente divulgado na comunicação social que o município de Viseu rejeita que este rio esteja poluído, e citamos acta da reunião da Câmara Municipal de 17 Maio deste ano:

“O Senhor Presidente, deu a conhecer ao Executivo Municipal, que face ao alarmismo provocado por afirmações irresponsáveis quanto a uma alegada poluição do rio Pavia, o Município de Viseu, através da Águas de Viseu, solicitou a um laboratório independente a recolha e análise da qualidade da água do rio em dois pontos distintos: junto à Ponte de Pau e à Ponte das Barcas.”

“O Município de Viseu continuará empenhado na melhoria da qualidade ambiental no Concelho, suportando sempre as suas decisões com análises, pareceres ou estudos de entidades independentes”

O Rio Pavia nasce em Mundão, atravessa a Cidade de Viseu e desagua no Rio Dão. Nesse seu trajeto apresenta-se como um perigo ambiental, animal e para a saúde da população que vive perto deste rio e que usa a água do mesmo. Como referido e é do seu conhecimento, desagua no Rio Dão, pondo consequentemente em causa a segurança deste rio, no qual existem captações de água para consumo humano do sul do Distrito de Viseu e vários concelhos do Distrito de Coimbra.

É demais evidente que o nosso Rio Pavia precisa de intervenção que vá no sentido oposto à degradação em que se encontra e é mandatário que o município actue com intransigência na procura de soluções que devolvam a sustentabilidade deste curso de água, bem como na procura e responsabilização dos poluidores.
Em relação ao disposto, o Bloco de Esquerda, solicitou resposta do Município de Viseu, Junta de Freguesia de Viseu e Águas de Viseu (com excepção do ultimo ponto), às seguintes questões:- Têm conhecimento da situação?

– Continuam a considerar que o Rio Pavia não se encontra poluído?

– Têm conhecimento das razões pelas quais o Rio Pavia se encontra neste estado? 

– Que medidas e quais as ações previstas com o objetivo de averiguar as causas desta poluição?

– Que medidas e quais as ações previstas que envolvem a regeneração e limpeza do rio?

– Que intervenção tem o Centro de Monitorização e Interpretação Ambiental de Viseu no que trata ao Rio Pavia?

Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda de Viseu  

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub