Painel de azulejos é “Peça do Mês” de março no Museu de Lamego

por Rua Direita | 2014.03.11 - 14:47

Depois da pintura e da ourivesaria é a vez da azulejaria estar em destaque na rubrica “Peça do Mês” do Museu de Lamego. O painel de azulejos sevilhano escolhido, datado do início do século XVI, à semelhança de outros que integram a coleção do Museu, é oriundo da nave lateral esquerda da Sé Velha de Coimbra.

A referência é de João Amaral, primeiro diretor do Museu de Lamego, que assinalou ainda que as amostras de azulejos hispano-árabes ou sevilhanos foram oferecidas pelo professor de História da Arte, Vergílio Correia.

Coimbra foi, depois de Lisboa, o mais importante centro de propagação de azulejos quinhentistas em Portugal. Isto ficou a dever-se ao patrocínio do grande Bispo-Conde “renascentista” D. Jorge de Almeida, que governou a diocese de 1483 a 1543. O embelezamento da Sé Velha com azulejos “de labores” fazia parte, das obras renascentistas empreendidas no templo pelo Bispo

Avultavam, pela quantidade e variedade de padrões, os azulejos que revestiam quase totalmente o interior da Sé Velha, pelo menos até finais do século XIX, tendo sido, pouco a pouco, arrancadas até ficarem reduzidos a um pequeno revestimento junto à pia baptismal e alguns dispersos.

Os museus nacionais do Azulejo (Lisboa) e Machado de Castro (Coimbra) conservam, atualmente, a mais importante coleção destes azulejos retirados da Sé Velha de Coimbra.

A “Peça do Mês” é uma iniciativa que traz a público, mensalmente, um conjunto de peças que pretendem espelhar a qualidade e a diversidade do acervo, através, porventura, de objetos menos conhecidos do grande público.

 

LEGENDA:

Painel de Azulejos

Fernan Martínez Quijarro e Pedro Herrera

Sevilha

1503

Barro vidrado, aresta policromada

Proveniência: Sé Velha de Coimbra

Museu de Lamego, inv. 607

 

mlamego.patriciabras@culturanorte.pt

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub