Nova temporada do Teatro Viriato com duas programações distintas

por Rua Direita | 2014.03.25 - 18:03

O nosso auditório acolherá presenças fortes, mas de menores dimensões, a programação gira à volta de pequenos formatos, como duetos e solos, o Sentido Criativo registará uma forte atividade e manteremos o trabalho com a comunidade, e ainda a ligação com o Cine Clube de Viseu com os filmes-musicados. Além disso, destacar ao nível da programação, que o Teatro Viriato irá fazer tanto fora de portas. É um sonho que o Teatro Viriato concretiza e que sempre esteve relacionado com uma vontade de extroversão. Finalmente, este ano, isso concretiza-se num período que vai desde 24 de maio a 01 de junho, num trabalho que começou há meses e que se materializa no VISEU A 24 MAI a 01 JUN.

Paulo Ribeiro, durante a apresentação da programação do Teatro Viriato para abril a julho de 2014

 

A estreia absoluta de dois projetos produzidos pelo Teatro Viriato, K Cena – Projeto Lusófono de Teatro Jovem e Paris Qui Dort (filme-concerto) e o festival de artes Viseu A 24 MAI a 01 JUL, cuja programação será divulgada em breve, marcam um quadrimestre que terá ainda em cartaz a reposição do solo do coreógrafo Paulo Ribeiro, uma produção do Teatro Nacional São João, a exibição de dois solos interpretados por Leonor Keil e a música dos Tropa Macaca e dos Chibanga Groove.

A nova temporada ABR/JUL começa novamente em festa, com uma oferta singular. Depois da estreia, em novembro de 2013, de Sem um Tu Não Pode Haver um Eu, Paulo Ribeiro sobe uma vez mais ao palco do Teatro Viriato para apresentar o seu solo (05 de abril). Uma reposição que tem como objetivo celebrar os 15 anos de atividade regular do Teatro Viriato e à qual se associa a Câmara Municipal de Viseu. O valor da bilheteira reverterá a favor da AVISPT21 – Associação de Viseu de Portadores de Trissomia 21. O Teatro Viriato renova a parceria com a Proviseu/Conservatório Regional de Música de Viseu, para o Festival da primavera, programando o concerto Remix Ensemble (30 de abril), um coletivo da Casa da Música, que já apresentou em estreia absoluta mais de 85 obras e tem recolhido os maiores elogios por parte da crítica internacional.

Em maio, a italiana Ambra Senatore apresenta pela primeira vez o seu trabalho em Viseu com a coreografia Passo (08 de maio), na qual realidade e ficção se confundem e se misturam numa dança dinâmica, povoada de uma ironia lúdica. Ainda neste mês, os Tropa Macaca (14 de maio) ocupam o foyer num café-concerto assente num universo de composição contemporânea eletrónica.

Numa produção do Teatro Nacional São João, Nuno Carinhas recupera Ah, os dias felizes (13 e 14 de junho) de Samuel Beckett. Mais de 50 anos volvidos sob a estreia absoluta desta peça, o universo de Beckett continua a surpreender, intrigar e perturbar. No âmbito da parceria com a Jazz ao Centro, o Teatro Viriato acolhe no foyer o café-concerto com os Chibanga Groove (ft. Galissa) (18 de junho), um quarteto de Jazz que privilegia a infusão de vários estilos, como as influências afro-americanos, a música africana e os ritmos latinos. Em junho, a escola de dança da Companhia Paulo Ribeiro, Lugar Presente, ocupa o palco do Teatro Viriato com as suas apresentações de final de ano letivo (21, 27 a 29 de junho), os alunos de Dança e Teatro terão assim uma oportunidade de dar a conhecer o trabalho desenvolvido ao longo do ano.

Com vinte anos de carreira, Leonor Keil, uma das bailarinas mais conceituadas da dança contemporânea portuguesa, apresenta-se em palco com dois solos, Como é que vou fazer isto?, com coreografia de Tânia Carvalho, e Bits & Pieces, com criação coreográfica de Olga Roriz (05 de julho). A temporada termina com uma estreia absoluta que resulta de uma parceria entre o Cine Clube de Viseu e o Teatro Viriato. O músico residente em Viseu, Bruno Pinto, musicará ao vivo aquele que é considerado o primeiro filme de ficção científica filmado na capital francesa, Paris Qui Dort (09 de julho).

No âmbito do Sentido Criativo, o Teatro Viriato oferece uma temporada forte, com propostas diversas dirigidas aos alunos, aos professores e às famílias. Uma grande aposta será o espetáculo de artes performativas Vissaium (de 03 de abril a 12 de julho). Produzido pelo Teatro Viriato, Vissaium convida à fruição do riquíssimo património arqueológico de Viseu através de um percurso que reflete a importância da cidade na construção da identidade nacional. Para as férias da Páscoa, a proposta incide sobre duas oficinas distintas, a oficina de dança Dançário (07 a 11 de abril) e a oficina de novo circo De Pernas para o Ar (07 a 11 de abril). A segunda edição do K Cena – Projeto Lusófono de Teatro Jovem volta a reunir vários jovens de diferentes nacionalidades (Portugal, Brasil e Cabo Verde). As peças originais criadas pelos encenadores Graeme Pulleyn (Portugal), João Branco (Cabo Verde) e Marcio Meirelles (Brasil) tiveram este ano como pano de fundo a obra de Dom Quixote de La Mancha, de Miguel Cervantes. Em Portugal, conta com a encenação de João Branco (encenador convidado)a peça estreia nos dias 23 e 24 de abril. Voltamos às oficinas para professores que resultaram do projeto-piloto intitulado 10×10 do programa Descobrir da Fundação Calouste Gulbenkian, onde os professores poderão conhecer modos de renovação das suas estratégias de comunicação na sala de aula: O Movimento e a voz como ferramentas pedagógicas, com orientação de Margarida Mestre, e Espaço. Tempo. Ação, com orientação de Sofia Cabrita (03 de maio). Para as crianças entre os 3 e os 5 anos, Margarida Mestre e António-Pedro propõem uma viagem musical e sensorial a partir de poemas de vários poetas portugueses – Poemas para Bocas Pequenas (12 a 14 de junho), uma coprodução da rede de programação 5Sentidos. Um carro do meu tamanho (01 a 04 de julho) é a oficina de verão, que explorará as artes plásticas a partir do carro enquanto objeto. Uma atividade dirigida a crianças entre os 8 e os 12 anos.

De 03 de abril a 30 de julho, o Foyer do Teatro Viriato acolhe a exposição Coreografia para um Rossio, uma amostra que reúne algumas imagens dos fotógrafos residentes em Viseu, Carina Martins, José Crúzio e Luís Belo sobre a instalação Uma Carta Coreográfica, de Madalena Victorino, que ocupou a Praça da república (Rossio) durante “A Primeira Festa” do Viseu A 01 do 06 de 2013.

A par da programação regular e intramuros, de 24 de maio a 01 de junho, Mangualde, Nelas, São Pedro do Sul, Tondela e Viseu acolhem o VISEU A 24 MAI a 01 JUL, um festival de artes protagonizado por muita gente e por muitos artistas. Estes cinco municípios irão entrar em diálogo com a dança, o teatro, o circo e a música e oferecer uma semana de propostas culturais dinâmicas que convocarão a participação de todos. Um conjunto de experiências únicas de festa e transformação. A programação em detalhe poderá ser conhecida no dia 22 de abril.

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub