Musiquim leva Samuel Úria à rua

por Rua Direita | 2013.12.01 - 19:54

Samuel Úria não é estranho a Viseu. O cantautor que tem ganho destaque pela sua música singular, já intitulada de “blues do Delta do Dão”, passou os seus anos de faculdade por lá. Quase mais de uma década depois, o cantautor regressou e, pelo meio, aceitou o convite do projeto Musiquim que desafiou o músico a, depois do seu concerto, tocar na rua sem qualquer aviso ou preparação. Música a cru.

O Musiquim é isso. Projeto descomplicado que ao longo dos últimos três anos já filmou mais de quarenta bandas com o intuito de divulgar não apenas a música, mas também a cidade e os seus recantos. Fê-lo com bandas de maior visibilidade nacional, como The Gift, Camané ou Dead Combo, mas também com outros artistas igualmente talentosos como os Birds Are Indie, Homem ao Mar ou Minta & The Brook Trout. Já ocupou a rua, esteve em escadarias e bancos de jardim, mas também já subiu a árvores, invadiu um consultório de dentista e uma sapataria.

Com Samuel Úria os planos passavam por ocupar uma pista de gelo, mas o entardecer da hora fechou o centro comercial e gorada essa possibilidade a alternativa estava na rua. O frio poderá ter arrepiado, mas não impediu que as gravações se fizessem num beco perto da estrada. Foi talvez num sítio sem grande glamour ou beleza que as duas cantigas de Samuel Úria se puderam ouvir. Nas gravações recentemente publicadas na página do Musiquim (www.musiquim.com), pode escutar-se a essência do músico e ver um espaço sem nada de especial ganhar uma nova vida.

O Musiquim é porventura uma forma de conhecer a música portuguesa na sua forma mais pura, despida de grandes acessórios, ensaios ou máscaras. A rudeza das filmagens, os enganos, o ritual de afinar o instrumento, a troca de palavras e outros pormenores tornam estes vídeos num objeto único.

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub