Liga de Amigos e Voluntariado CHTV

por Rua Direita | 2015.01.26 - 18:32

 

Efetuou-se hoje, 26 de Janeiro, a Escritura Pública de constituição da Liga de Amigos e Voluntariado do Centro Hospitalar Tondela-Viseu. Com este ato conclui-se a primeira meta traçada pela Comissão Instaladora desta Associação que hoje se reveste de figura jurídica, com capacidade e em condições de realizar as ações necessárias à concretização dos objetivos plasmados nos seus Estatutos, nomeadamente incentivar o envolvimento da comunidade no bem-estar do utente, colaborar na busca de apoios financeiros e outros que permitam a aquisição de equipamentos necessários aos diversos serviços do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, apoiar o utente e família através da melhoria da prestação de serviço por parte do Voluntariado, colaborar ativamente com os órgãos de gestão do CHTV,  nos desígnios da Missão do Centro Hospitalar e na dignificação da pessoa doente, ajudar na dignificação das atividades de todos trabalhadores do CHTV e ainda pugnar pela melhoria contínua das condições de acolhimento, internamento e tratamento dos utentes do CHTV.

 

Tomando como fundamental este último objetivo não podemos calar a nossa voz pela falta de condições físicas da Urgência Geral do Hospital de S. Teotónio – Viseu. Enquanto o poder político debita continuamente promessas desarticuladas de recursos humanos, camas, macas e divulga números: de mortes, atendimentos, alargamento de horários, entre outros, ainda não teve um segundo para um humilde ato que nós consideramos de justiça e por isso o fazemos: o de prestar um LOUVOR a todos os profissionais que trabalham de forma mui digna, esforçada e responsável no Serviço de Urgência, sem olhar a horas, números ou falta de condições. Esperemos que quem tem responsabilidades não deixe de seguir o nosso gesto.

Com efeito, na Urgência do CTVH em Viseu temos um bom leque de profissionais que têm feito o melhor nas alturas mais difíceis e com difíceis condições.

Contudo urge intervir nos espaços físicos sob pena de, não o fazendo, se inviabilize a boa prestação de serviço. As últimas obras datam de 2004, altura em que o serviço de urgência atendia menos doentes e a sua área de intervenção era bem menor. Hoje os espaços são claramente insuficientes. Há vários anos que os responsáveis vêm pedindo a 3.ª fase de obras. Foi sendo sistematicamente apresentado projeto e orçamento que não é nenhuma loucura (cerca de 750.000€) e é necessário e urgente. Faz agora um ano, nas comemorações do Dia do Hospital, o referido projeto foi apresentado ao Sr. Ministro tendo este mostrado abertura e deixado a promessa de resolução do problema. Contudo é do nosso conhecimento que, na passada semana, a ARS Centro informou que mais uma vez não há dinheiro para as obras no Serviço de Urgência de Viseu! É lamentável! Não podemos calar-nos quando vemos que os recursos são sempre canalizados para os mesmos e, por coincidência (?) se esquecem sempre de Viseu. Em vez de se premiar o mérito, premeia-se quem é sistematicamente premiado, tem sistematicamente dinheiro para obras, ou quem dá prejuízo ou presta serviço deficiente! Como o CHTV tem prestado um bom serviço e não tem dado prejuízo, não se lhe dá nada. Será que querem que o CHTV também preste mau serviço??? Não podemos calar esta discriminação e vamos diligenciar e exigir junto da Administração Regional de Saúde do Centro para que se ponha a par do problema, pondere a situação, explique ao Sr. Ministro que são urgentes obras no Serviço de Urgência de Viseu e disponibilize as verbas necessárias à sua consecução.

 

Outra questão que muito preocupa a comunidade da região e o CTHV é a já muito falada Unidade de Radioterapia, serviço que há muito tempo vem sendo pedido e tem sido prometido por todos os sucessivos responsáveis, com avanços e recuos. Numa altura em que em que a taxa de neoplasias está a aumentar exponencialmente na nossa região, surgem cada vez mais doentes oncológicos debilitados não se pode permitir que a isto se venha a acrescentar mais sofrimento com viagem de quilómetros para outros hospitais e se acrescentem gastos desnecessários quando há condições de implantação dos serviços em Viseu, como já foi reconhecido pelo poder político ao longo de anos. Não podemos mais deixar que serviços imprescindíveis à nossa região continuem a sair para outras regiões com muito menor centralidade em relações aos doentes que necessitam atendimento, só por razões externas à realidade e necessidade da saúde. Não podemos continuar a ser periféricos até na doença e na morte. Basta. É necessário que se faça alguma justiça social, se reconheça a importância do Centro Hospitalar Tondela-Viseu na prestação de cuidados de saúde a uma tão vasta região que abrange e que ultrapassa em muito os limites administrativos do distrito, estendendo-se e prestando cuidados a todos os que deles necessitam desde a Beira Interior até ao extremo norte do distrito.

Não podemos pactuar com este amorfismo e esquecimento. Vamos pugnar pelo que consideramos ser de justiça a bem dos utentes da nossa região.

 

Viseu, 26 de Janeiro de 2014

O Presidente da Comissão Instaladora,

    Fernando Luís Monteiro Bexiga

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub