Lançamento em Soutosa de documentário e livro dedicados a Aquilino Ribeiro

por Rua Direita | 2016.12.15 - 21:22

 

 

Um documentário e um livro que revisitam a obra de Aquilino Ribeiro e a casa onde viveu “e onde sempre regressou”, em Soutosa, Moimenta da Beira – hoje sede da Fundação (e casa-museu) com o seu nome – foram lançados dia 14 de dezembro, às 17h30, numa cerimónia que decorreu no auditório da associação “Baldios – Terras de Aquilino Ribeiro”, precisamente em Soutosa, freguesia de Peva, concelho de Moimenta da Beira.

Este evento insere-se no âmbito do projeto literário e cultural “Escritores a Norte – Vidas com Obra em Casas d’Escritas” que a Direção Regional de Cultura do Norte concebeu e coordenou com vista a promover uma aproximação dos públicos aos escritores do Norte, partindo da sugestão de visitas, físicas ou virtuais, às suas casas, espaços de memória detentores dos seus espólios.

No projeto, que tem a chancela do produtor Mário Augusto (crítico de cinema da RTP), participam e dão testemunhos dois netos do escritor (Mariana e Aquilino Ribeiro Machado), o presidente da Câmara Municipal de Moimenta da Beira, José Eduardo Ferreira, e três distintos aquilinianos: Henrique Monteiro, ex-diretor do Expresso, Lima Bastos, escritor e Paulo Neto, director da revista literária “aquilino”.

 

Ao todo, são 12 escritores do norte (e as suas casas) que integram a globalidade do projeto: Domingos Monteiro, Pina de Morais, Graça Pina de Morais e Lisa Pina de Morais (Casa das Quintans, em Mesão Frio); Camilo Castelo Branco (Casa de Camilo, em S. Miguel de Seide); Ferreira de Castro (Casa-Museu, em Ossela); Guerra Junqueiro (Casa Museu e Fundação Maria Isabel Guerra Junqueiro e Luís Pinto Mesquita Carvalho, no Porto); José Régio (Casa em Vila do Conde); Miguel Torga (Casa e Espaço Miguel Torga, em São Martinho de Anta); Aquilino Ribeiro (Casa-Museu e Fundação); Mário Cesariny (Fundação Cupertino de Miranda); e Eça de Queiroz (Fundação com a Casa de Tormes, eternizada por Eça em A Cidade e as Serras).

O vereador Francisco Cardia deu as boas vindas e apresentou o evento.

O auditório estava repleto de aquilinianos e jovens interessados, apesar do fim de dia chuvoso e frio.

Usou primeiramente da palavra José Eduardo Ferreira, que enalteceu o trabalho desenvolvido, a sua mais-valia para promoção turística do território, a sua estreita colaboração com o autarca de Sernancelhe em prol de Aquilino Ribeiro, o valor fundamental da Fundação com o nome do escritor, a necessidade de a impor como um trajecto cultural nacional, tendo por fim anunciado para início da Primavera a reedição da obra “O Homem da Nave”, em parceria do município de Moimenta da Beira e da Bertrand.

Falou de seguida Mário Augusto, o produtor destes conteúdos, lembrando momentos de sua vida entrecruzados com outros trabalhos feitos no passado, sobre Aquilino e ali, exactamente em Soutosa. Relevou ainda todo o gosto que este projecto lhe deu.

Encerrou o evento o director regional da Cultura do Norte, António Ponte, com uma alocução incindindo no relevo importantíssimo destes escritores para o desenvolvimento das regiões e manifestando o seu continuado empenho em prol deste objectivo.

Visualizado o documentário com uma duração aproximada de 30 minutos pode-se constar a qualidade do trabalho efectuado pelos parceiros envolvidos neste projecto.

Seguiu-se um “Terras do Demo” de honra em aprazível e acolhedor convívio.

De Sernancelhe e de Moimenta da Beira estiveram presentes ambos os executivos com a sua integral vereação, assembleia municipal e diversos presidentes de juntas de freguesia dos dois concelhos.

Vila Nova de Paiva fez-se representar por uma vereadora.

De entre os plurais aquilinianos presentes, destaque para Alberto Correia, um incontornável nome neste já longo percurso de difusão do Mestre do Carregal, de Soutosa e do mundo.

 

Texto RB e RD

(fotos RD)

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub