GNR parceira no Projeto “Life Rupis” Cães de deteção de venenos

por Rua Direita | 2017.03.06 - 16:52

 

A Guarda Nacional Republicana (GNR) participa, até maio de 2019, no Projecto “Life Rupis: Conservação da águia perdigueira e britango”, através do patrulhamento cinotécnico especialmente direcionado para a deteção de venenos, no Douro Internacional e Vale do Rio Águeda.

O projeto tem como objetivo implementar ações que visam reforçar as populações de águia-perdigueira e britango no Douro transfronteiriço, através da redução da mortalidade destas aves e do aumento do seu sucesso na reprodução. O britango, sendo o abutre mais pequeno da Europa, está classificado como “Em Perigo” no território Europeu, onde as suas populações registaram um decréscimo de 50% nos últimos 40 anos, e uma elevada perda do seu habitat. A águia-perdigueira tem um estatuto de “Quase Ameaçada” na Europa, devido ao decréscimo populacional e à pressão sobre as suas populações.

Sob alçada de um coordenador em Lisboa do Grupo de Intervenção Cinotécnico da Unidade de Intervenção da GNR, foram criadas duas equipas cinotécnicas especializadas na deteção de venenos especialmente direcionadas para este projeto, com carácter pioneiro nesta zona do país. Os dois binómios, com dois cães pastores Belga Mallinois, em conjunto com militares do Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA), irão intervir nas Zona de Proteção Especial do Douro Internacional e Vale do Rio Águeda.

A criação destes binómios detetores de venenos irá aumentar a capacidade de vigia e controlo da ameaça, onde o despiste de casos de envenenamento na natureza será efetuado por um patrulhamento cinotécnico regular nas áreas de intervenção do Projeto, tendo estas um carácter:

 

·            Preventivo: com o intuito de detetar situações de uso ilegal de venenos, nomeadamente a presença de iscos envenenados. Nestas situações, a utilização de cães permite fiscalizar áreas muito extensas e, por vezes, de difícil acesso;

·            Reativo: com o intuito de verificar situações com cadáveres ou animais selvagens ou domésticos, com indícios de envenenamento;

·            Criminal: facilitando a abertura de processos criminais com uma maior quantidade e qualidade de provas obtidas, num processo conduzido pelo mesmo órgão (deteção, recolha e processamento, investigação), aumentando a probabilidade de determinação e culpabilização dos responsáveis.

 

A este patrulhamento intensivo, concretamente direcionado à proteção da águia perdigueira e britango, está associado um efeito preventivo e dissuasor decorrente desta presença cinotécnica constante e regular no terreno.

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub