Exposição fotográfica “NA CASA DE” patente na FNAC Viseu de 06.01 a 06.04.2014

por Rua Direita | 2014.01.07 - 22:36

Fotografias de Paulo Pimenta

Vivemos num contexto que tende a valorizar aquelas que são as expressões artísticas da classe dominante, ou, pelo menos, as formas e objetos de arte cuja estética se torna vendável no mercado económico global. Assim sendo, grande parte da sociedade vive nesse mundo de “ilusão” criado pelas imagens dominantes cuja apreciação, antes de apelar à reflexão, visa, sobretudo, vender: imagens, produtos, serviços padronizados numa estética ideal.

Paralelamente a esta sociedade em que todos “compram” o que julgam ser o objeto e o objetivo das suas vidas, há uma outra “viagem” social, uma realidade que se vive no submundo à margem da imagem que circula. Aquela sub”cultura” local, aqueles objetos particularmente desadequados, aqueles rostos que não cabem nos cartazes da moda, aqueles “bocados” de carne que não queremos nem desejamos ver, porque, na (nossa) realidade eles não estão lá. Vagueiam num outro mundo qualquer, que não é este. E ali permanecem até que uma câmara e um texto os dotem de vida própria, os levem ao centro do mundo, colocando-os face a face com esta realidade, tornando impossível virar a cara. É a outra face da moeda, uma face tão insuportável que desejamos “escancarar” e “esborrachá-la” na cara da estética cultural que teima em não aceitar que o feio pode ser tão horrendo que dele nem aceitemos a sua existência.

Com esta exposição pretendemos “penetrar” nessa sociedade minoritária (ou não) e trazer, com a dinâmica do texto e da imagem fotográfica, estes rostos e estes fragmentos ao centro da humanidade.

Paulo Pimenta iniciou a sua formação com o Curso Superior de Fotografia na Escola Superior Artística do Porto (ESAP), concluindo o curso em 1994. Já colaborou com o jornal “Tal e Qual”, com a extinta revista “HEI” e com a revista “Visão”.

Expõe com regularidade individual e colectivamente, ganhando destaque o seu trabalho “10 Espectáculos 10 Mulheres “ Projecto de Luísa Pinto com as reclusas de Stª Cruz do Bispo (representação de 10 Divas do Sec XX); “As Três Primeiras Músicas“ – 12 anos de concertos; “Vou ao Porto “ na estação de metro do Campo 24 de Agosto, projecto desenvolvido com famílias de bairros sociais do Porto (Bairro São João de Deus, Lagarteiro, Cerco do Porto, Vale Campanhã).

Actualmente é fotojornalista do jornal “Público”, desenvolvendo esta actividade desde 1997.

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub