Exército está de novo em Moimenta da Beira

por Rua Direita | 2014.10.09 - 16:30

 

 

Cerca de três centenas de militares da Brigada de Intervenção estão concentradas desde esta quinta-feira, 9 de outubro, no antigo campo de futebol do Matão, em Moimenta da Beira, no âmbito da preparação e treino do Comando e Estado-Maior, para iniciar o exercício “DRAGÃO14”, que decorrerá até dia 16.

 

Esta acção surge na continuidade do exercício “JÚPITER14” que decorreu no mês de junho, também em Moimenta da Beira, envolvendo cerca de 750 militares e uma gama diversificada de meios materiais, onde se destaca a viatura blindada de rodas PANDUR II 8×8,

O exercício “DRAGÃO14” tem por finalidade treinar e avaliar a capacidade de planeamento, comando e controlo de operações táticas por parte do Comando e Estado-Maior da Brigada Intervenção, incluindo a projeção do Posto de Comando da Brigada, tendo como referencial organizar e treinar a Brigada de Intervenção para responder a todo o espetro da conflitualidade atual.

O exercício “DRAGÃO 14”, a decorrer na forma de Posto de Comando, contará com a participação de 300 militares e com uma gama diversificada de meios materiais, onde se distingue a viatura blindada de rodas PANDUR II 8×8, nas suas diferentes tipologias, a qual qualifica a Brigada de Intervenção como a “Força blindada de rodas”.

A Brigada de Intervenção foi criada em 2006, no âmbito da organização prevista na Lei Orgânica do Exército. É uma Grande Unidade da Força Operacional Permanente do Exército Português, cujo Comando se encontra instalado na cidade de Coimbra. A Brigada de Intervenção herdou o património histórico-militar da Brigada Ligeira de Intervenção, fundada em 1 de Junho de 1992, a qual por sua vez, sucedeu à então extinta Brigada de Forças Especiais.

Inicialmente, o Comando e Estado-Maior da sua antecessora, ficaram sedeados no Forte do Bom Sucesso, em Lisboa e em 1 de Setembro de 1992, foram transferidos para o Forte do Alto Duque. Finalmente, em 1 de Julho de 1993, teve lugar a transferência definitiva para Coimbra, para as atuais instalações, antigo “Convento das Eremitas de Santo Agostinho de Sant’Anna”, anteriormente usadas como Quartel-General da Região Militar do Centro.

Desde 1998, inicialmente como Brigada Ligeira de Intervenção e posteriormente como Brigada de Intervenção, aprontou e projetou 7606 militares para os teatros de operações da Bósnia-Herzegovina, Kosovo, Timor, Líbano, Iraque e Afeganistão.

O Estandarte Nacional da Brigada de Intervenção ostenta a Medalha de Serviços Distintos, Grau Ouro, atribuída por despacho de 03 de Junho de 2005, de Sua Excelência o Presidente da República.

A Brigada de Intervenção tem como legenda a “Divisa”, retirada do terceiro verso, da estrofe XXXVII, do Canto VIII dos “Lusíadas”, no qual Luís Vaz de Camões se refere, honrosamente, ao Infante D. Pedro, Patrono da Brigada. “QUE FAMA ILUSTRE FIQUE”.

 

RBondoso

GC

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub