Edifício “Carmelitana”, sede do projeto Tondela+10, foi inaugurado no passado dia 9 de maio

por Rua Direita | 2015.05.12 - 11:09

 

 

A sessão pública de abertura do Edifício “Carmelitana”, onde passará a estar instalado o “Centro de (Des)envolvimento do Território”, sede do projeto Tondela+10, decorreu no passado dia 9 de maio, às 15h, com a presença do Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Manuel de Castro Almeida.

jesus2

Após o descerrar da placa evocativa da inauguração da requalificação deste espaço, foi realizada uma visita às instalações do edifício, tendo todos os presentes tido a oportunidade de ver “in loco” o espaço que se construiu pata acolher o (des)envolvimento do nosso território, ao nível de projetos de investigação e oportunidades de negócios.

A inauguração da requalificação do edifício “Carmelitana” enquadra-se na estratégia da RUCI – Rede Urbana para a Competitividade e Inovação, programa articulado com a CIM Viseu Dão Lafões.

Já na Galeria de Exposições do Mercado Velho teve lugar a apresentação do primeiro ciclo de jovens e projetos selecionados no quadro do Tondela+10. Após introdução pelo coordenador do projeto, Miguel Torres, cada um dos jovens teve a oportunidade de apresentar e explicitar o projeto que se propõe a desenvolver durante os próximos meses.

Seguidamente, tiveram lugar as intervenções oficiais por parte do Presidente da Câmara Municipal de Tondela, José António Jesus, e do Sr. Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Manuel de Castro Almeida.

O Presidente do Município salientou o facto deste investimento não se traduzir apenas na requalificação do “tecido urbano, regenerando a cidade e as vivências deste espaço, preservando a memória”, como é um bom exemplo da refuncionalização de espaços, criando novas áreas de desenvolvimento”.

Acrescentou ainda que “estes 10 jovens que (…) apresentamos são o rosto de uma visão, vontade e ambição desta nova estratégia que potencia a capacidade empreendedora e de atratividade do concelho, a criação de emprego e a valorização do território. Ao forte e dinâmico tecido empresaria, que hoje exporta perto de 400 milhões de euros, (…) associaram-se vários setores do conhecimento”, destacando o Instituto Pedro Nunes, a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, o Instituto Superior Técnico de Lisboa, o Instituto Politécnico de Viseu, estando em perspetiva o envolvimento da Universidade de Aveiro.

Nas palavras do Presidente do Município o Tondela+10 é “um projeto que não é só o presente, mas a solução do futuro. E o Município de Tondela tem essa ambição, de se marcar como o território onde se idealizam, planeiam e constroem as soluções de futuro, num contexto, onde dinamizamos e apoiamos desafios sustentáveis e orientados pelas e para as necessidades e bases específicas da nossa região, valorizando sobretudo os recursos humanos e fazendo-os convergir em esforços e objetivos comuns e agregadores”.

No contexto do novo quadro comunitário de apoios, que “coloca novos desafios na definição das políticas nacionais e locais, pois está orientado para soluções, projetos e investimentos sustentáveis, que em muito vêm alterar o modelo de desenvolvimento com que estávamos familiarizados.” Assim, “o Tondela+10 responde a esta nova visão estrutural de desenvolvimento solidário promotor da coesão territorial, em que o grande objetivo não é meramente proporcionar estágios como único fim em si, mas alcançar resultados mensuráveis, com impacto na comunidade local.”

O autarca terminou a sua intervenção afirmando que “deste processo virtuoso, surge a necessidade de alargar a base de instalação de micro empresas, muito centradas na base tecnológica, pelo que a criação de um centro germinador e acelerador de empresas se assumirá como um objetivo a consolidar no quadro dos mecanismos de apoio à competitividade e à criação de empresas, no quadro dos investimentos dos programas do Portugal 2020.”

De seguida, usou da palavra o Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Dr. Castro Almeida, que salientou que o Tondela+10 é o exemplo a replicar da implementação do novo paradigma do modelo de desenvolvimento que o Portugal 2020 prevê, afirmando que espera que “daqui a 10 anos, todo o país se encontrasse neste posicionamento, a pensar como atrair investimento, gerar emprego e riqueza”.

Acrescentou ainda que no futuro ”os autarcas irão ser avaliados não pela quantidade de obras, mas pela taxa de desemprego que tinham antes e depois do mandato, ou seja, pela sua capacidade de fazer diferente adequando as suas estratégias de desenvolvimento à criação de emprego”.

“O Tondela+10 é a estratégia correta. E saliento que na intervenção do presidente da Câmara a revindicação não foi ‘novas estradas’, mas um ‘acelerador de empresas’; este é um bom exemplo do caminho que devemos seguir, povoando o interior, favorecendo a criação de oportunidades de investimento, de instalação de empresas e, consequentemente, gerador de emprego, e só assim seremos capazes de promover a coesão territorial”, concluiu.

Do programa fez também parte uma mesa redonda subordinada ao tema “Territórios de valor, espaços de oportunidades – Boas Práticas que são exemplos, ou exemplos que são boas práticas!” e que contou com a participação de João Tomás da Casa da Penhas Douradas, de Manteigas, e Marta Cortegano, do Centro de Excelência para a Valorização dos Produtos Mediterrânicos, de Almodôvar. A moderação esteve a cargo do vereador Pedro Adão.

 

ATGomes

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub