HISTCAPE partilhou boas práticas na gestão do património rural

por Rua Direita | 2014.04.01 - 12:58

A gestão sustentada dos centros históricos em áreas rurais foi o tema principal de seminários, visitas e fóruns que reuniram no Museu de Lamego e no Vale do Varosa cerca de trinta especialistas, representativos de onze países da Europa. As boas práticas no desenvolvimento sustentável e na preservação do património estiveram em cima da mesa, numa iniciativa organizada pela Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN).

As várias agências europeias presentes tiveram oportunidade de apresentar as ações já realizadas e os resultados obtidos na promoção do património, partilhando experiências e conhecimentos com antigos e novos parceiros. No final, as diversas reuniões de trabalho pretenderam apontar caminhos, no sentido do estabelecimento de políticas eficazes na gestão do património e paisagem rurais, assumidos como paisagens com vida.

Um exemplo de paisagem rural com vida é o projeto “Vale do Varosa” que concentrou a atenções das agências europeias no último dia dos parceiros na região. Exemplo da experiência da DRCN na salvaguarda e gestão do património, o Vale do Varosa foi alvo de uma apresentação e de um conjunto de visitas aos monumentos que o compõem.

O projeto Vale do Varosa arrancou em 2009, tendo na sua base a recuperação de três monumentos considerados fundamentais para a formalização de uma rede, alicerçada no conceito de “território histórico”. Desde então foi totalmente recuperada a igreja do Mosteiro de S. João de Tarouca e musealizadas as ruínas do complexo monástico, decorrendo, atualmente, os últimos trabalhos com vista à sua abertura plena. Já em outubro de 2011, o Mosteiro de Santa Maria de Salzedas abriu portas, depois da recuperação do edificado e instalação de um núcleo museológico interpretativo do sítio. Ainda no decorrer de 2014, está prevista a abertura do Convento de Santo António de Ferreirim.

No Museu de Lamego, o grupo teve também oportunidade de visitar as cerca de trinta salas, onde se destacam os Tesouros Nacionais, nomeadamente as tapeçarias flamengas, as tábuas de Vasco Fernandes (Grão Vasco), a arca tumular do séc. XIV e os painéis de azulejos do séc. XVII.

Financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e implementado pelo programa de cooperação Eupopeia INTERREG IVC, o Projeto abrange a definição de recomendações políticas e estratégicas que possam ser adoptadas pelos agentes responsáveis pela salvaguarda e conservação do património cultural e pelo desenvolvimento regional. Procura-se identificar e desenvolver instrumentos que garantam uma gestão sustentada da paisagem e a preservação de pequenos centros históricos em áreas rurais da Europa, ajudando a conter a espiral de declínio a que se assiste nas zonas rurais europeias.

Além da DRCN, participam no projeto a Agência de Desenvolvimento Rural da Styria (Áustria), a Autoridade Regional de Castela e Leão (Espanha), a Região de Marche (Itália), o Gabinete de Programas Europeus da Região Ocidental da Macedónia (Grécia), a Direção Geral do Património Cultural de Rhineland-Palatinate (Alemanha), a Administração Municipal do Distrito de Alytus (Lituânia), a Associação do Governo Local de Saaremaa (Estónia), a Região de Planeamento de Vidzeme (Letónia), o Ministério do Ambiente e Planeamento da República da Eslovénia, a empresa Technalia Research and Innovation (Espanha) e a Associação Europeia de Cidades Históricas e Regiões – Heritage Europe EAHTR (Inglaterra).

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub