A realidade é outra – Concelhia de Viseu da Juventude Socialista

por Rua Direita | 2014.02.21 - 21:33

Num momento em que o ónus da dívida pública portuguesa recai sobre a carteira da grande maioria dos nacionais, a Câmara Municipal de Viseu levou a cabo um devaneio publicitário em torno da qualidade da água no Município que não só se reveste de totalimproficuidade como se constou totalmente quimérico.

Efectivamente distinguido, o SMAS Viseu encontra-se entre os 61 sistemas de distribuição de água laureados pela qualidade do líquido que por eles circula, sendo o 5º classificado no Distrito. Atesta-se, portanto, o carácter ordinário da distinção que nos coloca num grupo ainda vasto de premiados. Igualmente vastos e preocupantes serão os locais onde, em Viseu, a qualidade da água é ainda sobejamente fraca, constituindo um exemplo verídico disso mesmo a Quinta do Catavejo. Curioso que uma cidade se esforce exacerbadamente para dar a conhecer a quem passa na estrada os atributos da sua água ao mesmo tempo que corre atrás de alguns municípios do Distrito (sermos de “primeira” é slogan mas pouco tem de real), e se paute pela inacção na resolução dos problemas que ainda existem a este nível, principalmente o controlo da água proveniente de fontes um pouco por todo o Município.

Vende-se ilusão, cultiva-se inércia e patenteia-se irresponsabilidade.

Não obstante o exposto, o custo relativo ao consumo da água na cidade irá aumentar já este ano, eventualmente para partilhar por todos o encargo de tal operação mediática, fazendo com que os viseenses paguem agua mais cara do que na capital. Pena a Câmara Municipal de Viseu não possuir tal generosidade no que concerne à abrangência qualitativa do líquido, que, como podemos constatar, ainda não chega a todos, reservando-se essa capacidade apenas para o pagamento do mesmo.

Apesar de tudo, a verdade é que esta campanha “Viseu é de primeira água” seria sempre totalmente dispensável. Amanhã, não será a campanha que fará aumentar o consumo de água (inelástico, constitui uma necessidade de primeira linha), nem certamente alguma vez se traduzirá em algum benefício público. Não podemos dizer que não criou absolutamente nada, quanto mais não seja em logro é bastante abundante. Prende-se apenas a questão, qual o preço que devemos pagar para que nos iludam?

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub