1º Festival de Sopas de Sernancelhe Os sabores de outrora

por Rua Direita | 2014.02.18 - 13:52

Os saberes e os sabores da nossa ruralidade foram postos à prova com sucesso no 1º Festival de Sopas e Encontro de Ranchos Folclóricos, que decorreu no Expo Salão de Sernancelhe nos dias 14, 15 e 16 de fevereiro. Mais de quatro mil pessoas provaram as 14 sopas confecionadas por outras tantas associações do nosso Concelho, num certame embelezado pela etnografia de nove ranchos do norte de Portugal.

Organizado pelo Município de Sernancelhe, o 1º Festival de Sopas e Encontro de Ranchos contou com o dinamismo e espírito de iniciativa das associações Acis – Associação Comercial e Industrial de Sernancelhe (Sopa à Lavrador), Associação Dinamizadora Aldeia da Faia (Sopa de Feijão), Âmbula IPSS – Associação de Funcionários da Câmara Municipal de Sernancelhe (Sopa de Peixe), Associação Desportiva e Recreativa da Sarzeda (Sopa da Matança do Porco), Banda Musical 81 de Ferreirim (Sopa de Cebola), Conselho Diretivo dos Baldios “Cinco Reis de Gente” do Carregal (Sopa de Gravanços com bacalhau), Clube de Caça e Pesca de Sernancelhe (Sopa de Javali), Associação Colarni (Arnas) (Canja de Feijoca), Confraria da Castanha (Creme de Castanha), ESPROSER – Escola Profissional de Sernancelhe (Caldo de Castanha), Associação da Biointerpretação de Lamosa (Cardo Verde Gourmet), Rancho Folclórico de Sernancelhe (Sopa de Cogumelos), Núcleo Desportivo e Cultural da Vila da Ponte (Sopa à Pica-Peixe) e Zona de Caça Municipal Távora e Zebreira (Sopa de Feijoca à Zebreira).

Provar estas sopas e viajar no tempo e na história do Concelho de Sernancelhe foi a proposta que o Festival de Sopas fez aos muitos visitantes que passaram pelo Expo Salão. Depois de adquirirem a tigela de barro preto com a imagem “terra da castanha” gravada como recordação, embarcaram na aventura de descobrir os sabores da terra, aliados aos saberes ancestrais, às artes e aos ofícios, e às exibições únicas e sempre memoráveis dos ranchos folclóricos, guardiões da cultura do nosso povo.

Ao palco do Expo Salão subiram, no dia 14, na abertura do certame, os Tocadores de Concertina Terra da Castanha. No dia 15 o Rancho Folclórico e Etnográfico Infantil e Juvenil de Palhais e Reboleiro, o Rancho Folclórico das Arnas, o Rancho Folclórico Cancioneiro de Folgosinho, e o Rancho Folclórico da Granja do Tedo. No dia 16 a tarde foi também de folclore, com as atuações do Rancho de Paredes de Coura, Rancho de Moimenta da Beira, Rancho de Fafel, Rancho de Torredeita e, a finalizar, o Rancho Folclórico de Sernancelhe.

Em simultâneo, e também durante os três dias, o espaço do 1º Festival de Sopas e Encontro de Ranchos foi um “museu” onde a história do Concelho começou por ser contada aos visitantes com imagens antigas pousadas nas paredes do edifício. No interior, recriaram-se salgadeiras, arcas de cereais, galinheiros, lojas agrícolas lado a lado com um carro de bois. Em frente foram reconstituídos, com utensílios verdadeiros, os diversos compartimentos de uma habitação rural, podendo apreciar-se a simplicidade e o desprendimento com que viviam os nossos antepassados.

Por todo o recinto, as singelas barraquinhas albergaram, com particular elegância, as associações, abraçando as mesas de madeira onde as sopas eram degustadas pelos visitantes. Ao fundo, uma montra viva das artes e dos ofícios: o tear tradicional a ser manuseado por uma menina das Arnas, o sapateiro, passando pelo cesteiro, foi recriado um quadro harmonioso daquilo que fomos para explicar aquilo que somos.

O sucesso do evento foi evidente. Para o ano repete-se, com toda a certeza.

pavilhao

caldo3

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub