Um Natal diferente

por Paulo Neto | 2013.12.14 - 14:05

As restantes 23 autarquias do distrito deveriam seguir o exemplo de Viseu e de Almeida Henriques, o recém-eleito presidente local.
O Natal é uma quadra fraterna, de amor, solidariedade e partilha. Festeja-se todos os anos de há 2013 anos a esta data, independentemente dos tempos de abundância ou de carência como os de hoje, com elevadíssimos índices de desemprego, aumento de impostos, falências de empresas, crescimento do número de pobres e de indigentes, disparo da criminalidade, aumento da miséria, encerramento de serviços básicos, etc…
Porém, todos temos direito ao tradicional bacalhau com couves. E até parece que este ano, com a diminuição da procura baixou o preço do “fiel amigo”.
Almeida Henriques é um moderno autarca do século XXI, generoso, grandioso e magnânimo. É legítimo que queira mostrar a todos os colaboradores da autarquia o seu bom fundo, a sua moral cristã e o seu apurado sentido de partilha. E que tenha escolhido este momento, neste álgido inverno para alguns, rodeado da sua recém-alargada família de 774 colaboradores, para se afirmar e sentir como um Doge veneziano do Pavia.
O Natal tem esse condão especial de realçar a harmonia e a bondade existente em todos nós. Há que festejar o nascimento do Menino Jesus, em Belém, pobrinho e aconchegado na manjedoura por Maria e José, mais o hálito quente da vaquinha e do burrinho.
O jantar da CMV foi no Hotel Montebelo. E muito bem porque todos os colaboradores do município merecem muito mais do que isso. Almeida Henriques percebeu-o de imediato. Um só reparo a manchar a magnanimidade do gesto: escusava de ter cobrado 12 € por cabeça. Um bom patrão, a dar, dá 100%.