Editorial | 2013.12.03 – Almeida Henriques vice-presidente da ANMP. E isso é uma vitória?

por Paulo Neto | 2013.12.03 - 19:01

Almeida Henriques parece fadado, à cabeça da autarquia viseense, para ser indefinidamente o nº 2 de Fernando Ruas. A sua sombra e o seu mal-menor (ou maior?).

Quando Viseu teve a presidência da ANMP prestigiou-se o nome da Região, dizem.

Agora, baixando um degrau na escada e passando Almeida Henriques a vice, ademais numa vice partilha com uma mão cheia de outros autarcas, só consegue pôr a sua amestrada claque a saltar na bancada… Mais ninguém.

Quando começará AH a perceber que o fato pelo alfaiate talhado é esse: o de nº 2 de FR?

Aliás, após todas as três derrotas recém-sofridas com a AIM, CIM e Planalto Beirão, apesar de vir estriduloso a terreiro a autoproclamar-se coberto de triunfos, todos perceberam serem estes de faz-de-contas e que os louros não passaram de urtigas.

A estratégia consiste, pois, em fazer a festa, deitar os foguetes e apanhar as canas. Até mesmo na última entrevista “aparecida” no Público… onde o ego debordante agradece e o deslumbramento uníssono ecoa.

Como um mal nunca vem só, AH tem outra potencial derrota à espreita do edifício da Segurança Social.

A confirmar-se que Ruas regressa às origens deixadas há mais de duas décadas, como a águia do alto do penhasco olhando o esconso semideiro, anunciará:

“Tenho-te na mira. Um passo em falso e serás um laparotozinho nas minhas garras…”

A não ser que, de entre os inúmeros convites que Ruas diz ter recebido, venha a tal guia para Bruxelas.

Aí, o actual autarca respirará aliviado. Sempre fica a mais de 2 mil quilómetros do Rossio…