Respeito, Respectus…

por Ana Cristina Mega | 2014.03.03 - 12:01

A palavra respeito vem do latim respectus. Significa olhar para trás ou olhar outra vez. Subentende o conceito de avaliação a posteriori do valor de algo ou de alguém e da demonstração do reconhecimento desse valor. Assim, tudo o que merece um segundo olhar é digno de respeito.

O respeito é visto como:

– O sentimento que nos impede de fazer ou dizer coisas desagradáveis a alguém,

– O apreço, consideração e deferência por alguém que o suscita,

– Acatamento, obediência, submissão a regras e leis,

– E…medo, temor.

A civilização ocidental assenta no dogma do respeito, respeito nas relações interpessoais, interinstitucionais, entre as pessoas e as instituições e destas últimas para com as pessoas.

A expressão do respeito acontece sob duas formas, uma forma passiva, que se traduz na sensação positiva de apreço e consideração, e uma forma activa que se concretiza numa acção representativa da consideração sentida.

Um conjunto de acções respeitosas e repetidas constitui uma conduta de respeito.

Ora, perante todas estas definições começamos a pensar que o vemos e sentimos, hoje em dia, está longe destes conceitos.

Por um lado vemos atropelos nas relações interpessoais, a falta de respeito pela individualidade e pela dignidade dos semelhantes. Tudo vale nesta fogueira das vaidades.

Por outro, o apreço, a consideração e a deferência por aquilo que se diz admirar e respeitar não é praticado. Ou porque não se o quer fazer, ou porque na realidade não se valoriza assim tanto como se afirma…Como diria a Martha Medeiros, “Os factos revelam tudo, as atitudes confirmam. O que você diz – com todo o respeito – é apenas o que você diz.” Concordo em absoluto!

Quanto ao acatamento, obediência, submissão a regras e leis, uns acatam…Outros não! E enquanto não acatarem todos, bem podemos ver a conduta de respeito através do Hubble.

Medo e temor… É, infelizmente, talvez a única forma de respeito vigente e talvez a forma mais destituída de honra e valor…o pilar mais fraco, o servo da prepotência.

Médica veterinária, docente na Escola Superior Agrária, ISPV

Pub