Para explicar o “tutano” da vida, há que aprender a dançar no silêncio…

por Paula Branco | 2016.04.13 - 16:08

 

 

Poesia!…

A Poesia é a alma do mundo…

E está oculta num vulcão de sabedoria,

adormecido pelo ritmo melódico

de um silêncio  profundo que

aclama chamas de pensamentos

ainda por vir!…

 

Poesia é a aurora do dia

e a sua despedida, no âmago da noite!

 

Poesia é tudo do nada

que apenas se sente!…

 

Musa da História

que dita a origem do Homem!

Poiesis –diriam os gregos –

princípio da formação do Homem .

Princípio da criação!

Primogénita de um povo

que atesta a presença  humana.

Esse filho da Terra divina,

da deusa Mãe que entoa,

sob ritmos dissonantes, mensagens

uníssonas da melodia da vida!

É a existência rimada

de uma métrica perfeita,

assinalada por sons labirínticos

de uma Natureza compulsiva na plenitude…

 

Poesia é o próprio Mito,

onde o homem se forma,

se transforma e transfigura,

nessa figura de touro, pela volúpia irracional

que delimita a fronteira da racionalidade.

Eis o Minotauro consumado poesia!

Eis o Homem feito mito!

Eis o retrato das contradições humanas,

em profecias da demanda!…

 

Que seria dos deuses sem Poesia?

Que seria da História sem melodia?

Que seria do Homem sem alma?

 

Aos olhos de Sophia de M.B. Andresen, a Poesia é o ar, a água, o fogo, a terra, numa aliança a decifrar a perfeição, a pureza, o equilíbrio, a harmonia que o homem alumia nesse apelo à verdade, à paz, à igualdade social, à justiça, à liberdade…Para Píndaro, a Poesia é a própria música. A catarse em emoções, de âmagos ausentes…

Para Pessoa, é intelectualizar. Para uns seria a urgência, para outros, visão espiritual. E PARA VÓS? Para nós é tudo! Isto e tudo o mais!… É O ABSURDO DO REAL QUE O PERMITE!

Para a nossa poetisa Sophia, a Poesia existiu muito antes de haver Literatura. Estava suspensa na Natureza! E Imanente…Bastava estar atento para ouvi-la no seu silêncio! Por isso, o poeta é um ESCUTADOR…

Psiuuuuuu!!!