“Olhar em 4 actos”

por Diana Silva | 2014.02.06 - 13:50

I

Não podemos

acusar-nos de um Sentimento

de queda

para Dentro

 

o olhar que ateou fogo

existiu realmente?

 

o olhar que ateou fogo

…e se espalhou pelo ventre

subiu pelo peito, queimando as faces

ardendo como um archote

a correr pela pele

caindo

caindo

sempre para Dentro

 

aquele olhar

…aconteceu realmente?

 

as chamas

para existirem

têm de danSar e subir

( cair? )

 

II

Podemos acusar-nos de um acto

de uma palavra

mas não podemos

acusar-nos de um Sentimento

 

não podemos fazer mais

do que perguntar

o que significa

 

E eu digo

é o Absoluto

 

aquele olhar

…aconteceu realmente?

 

III

Não há nada

que eu veja com mais frequência

que os olhos dos outros

e

no entanto

não retenho o movimento

 

estava Deus entregue

aos seus biscates

lá na sua oficina

quando chegou

o modelo do corpo

à Alma

 

( esqueço, então,

a oficina da origem

para ver a pálpebra

no seu movimento )

 

IV

Não sei se

aquele olhar

aconteceu realmente

mas

desde então

atravesso o mundo como um archote

em queda Interior, Inteira