O regresso dos Monty Python

por Eduardo Antunes | 2013.11.28 - 10:54

Já não vou a tempo, porque segundo as crónicas os bilhetes para o regresso dos Monty Python esgotaram em 43 segundos. O pobre do cidadão tem ainda a esperança que a 1 de Julho de 2014, este espectáculo sirva, para além de pagar a hipoteca de Terry Jones, de terapia arrasadora para as almas penadas que acreditam na redenção europeia. “Engraçadinho”, diz o comentador ao lado. Talvez seja melhor começar de novo. Quarenta e três segundos ou menos foi o tempo consumido pelas Pussy Riot numa catedral ortodoxa em Moscovo, onde uma canção, dedicada ao czar Putin, foi considerada suficientemente exótica para as três russas serem convidadas especiais das mansões siberianas. Será que existem algumas semelhanças entre as atitudes provocadoras dos Monty Python iniciadas anos 70 e a performance das Pussy Riot em pleno século XXI? De estéticas diferentes são certamente, mas do oxigénio da liberdade são ambos devedores. Juntem-se ao protesto em http://freepussyriot.org/

E depois de coisas mais sérias, nada como um momento de um dos meus preferidos:

Exageros

O Alfredo atirou o jornal ao chão, irritadíssimo, e virou-se para mim:

– Estes jornalistas! Passam a vida a inventar coisas, é o que te digo. Então não afirmam que, no Sardoal, foi encontrado um frango com três pernas! Vê lá tu! É preciso ter descaramento. Ajeitou-se melhor no sofá e, realmente indignado, coçou a tromba com a pata do meio.

Mário-Henrique de Leiria, Novos Contos do Gin.

Nasceu algures no século XX. Gostava de ter sido um glorioso maluco das máquinas voadoras.

Pub