“Carpe Diem”

por Paula Branco | 2016.01.14 - 20:55

 

Carpe diem!

Agarra este momento

– Aqui e agora –

 

Carpe diem!

A manhã que nasce

Como aurora do Provir

A escorrer por entre os dedos

Da infância!

O dia que cresce

Sob o olhar vigilante

Do teu Sol.

 

E abre o teu sorriso

À luz de uma lua

Maternalmente sábia!

 

Carpe diem!

A tua colheita,

Só tu podes plantar,

Não dizimar…

Abraça um jardim de flores,

Não de espinhos!

E forma com ele anéis

De Paz… Fraternidade… Abnegação … Clemência…

Que a tua espada

Seja a rosa branca da vida.

O teu escudo,

O manto da felicidade

Ainda não esquecida.

A tua luta,

A esperança, de todos os dias,

Caminhares nessa encruzilhada

Como quem dança

A valsa perdida de uma inércia acomodada…

Grito de apelo,

Em palavras, gestos incapacitados

Do som harmónico

Dessa revolução demorada.

Paz… Alegria… Folia… Energia sadia…

 

                                                                                   Carpe Diem!