Vereadora do PS acusa o Presidente da Câmara de Viseu de violência psicológica

por Rua Direita | 2017.11.16 - 19:32

 

 

 

A vereadora não executiva do Partido Socialista na Câmara Municipal de Viseu, Lúcia Silva, acusa o Presidente da Câmara, Almeida Henriques, de violência psicológica.

 

Perante factos políticas, e na sequência das intervenções feitas pelos vereadores da oposição, Almeida Henriques subestima-os, responde com ataques pessoais, de menosprezo, chegando mesmo a ser mal-educado e  ao insulto pessoal e depreciativo.

Nas reuniões que decorreram tem havido sempre episódios que se consubstanciam em ataques psicológicos, pois Almeida Henriques a assuntos políticos responde com ataques pessoais, não respeitando assim o direito da oposição consagrado na constituição da República Portuguesa, que “no seu artigo 114º prevê que é reconhecido às minorias o direito de oposição democrática nos termos da constituição e da lei”.

Entende-se por oposição a atividade de acompanhamento, fiscalização e crítica das orientações políticas da autarquia, com o direito à informação; à consulta prévia sobre as propostas dos respetivos orçamentos e planos de atividades de o direito à participação. Perante estes factos pode-se afirmar que Almeida Henriques tem dificuldade em lidar com a democracia, não permitindo que outros, que não ele, possam pedir esclarecimentos e opinar, mesmo que esses pedido de esclarecimentos e opinião sejam feitos de forma cordial e democrática.

Os vereadores socialistas não podem circular livremente na câmara, não podem receber os munícipes no gabinete que lhes é destinado, às horas que acharem aconselháveis, pois estão sujeitos aos estreitos horários estipulados pelo executivo camarário.

Almeida Henriques, presidente com maioria, age como estivesse com medo, sabe-se lá de quê…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub