Tondela – “Continuam ignorados os graves problemas ambientais que afetam o concelho.”

por Rua Direita | 2017.12.26 - 22:33

PARTIDO SOCIALISTA TONDELA

Vereação Municipal

Na reunião extraordinária da câmara municipal de Tondela, realizada no dia 18 de dezembro, foi aprovado, com a abstenção dos vereadores socialistas,  o Orçamento e Grandes Opções do Plano para o ano de 2018.

Entendem os eleitos do PS que se tratam de documentos de continuidade de políticas anteriores e que não anunciam grandes novidades.

Existe, no entanto, alguma convergência de intenções em relação aos programas eleitorais das últimas eleições e é comum o empenho na reconstrução das zonas afetadas pelo incêndio de outubro; daí ser dado o benefício da dúvida pelos vereadores socialistas, que manifestam a sua disponibilidade na procura de melhores soluções para o desenvolvimento do concelho.

De destacar uma verba de 1,4 milhões de euros, destinada a Medidas de Estabilização de Emergência, com a finalidade de colmatar alguns dos prejuízos dos incêndios, com 75% do financiamento definido, através do PDR 2020.

A grande fatia dos investimentos transita de orçamentos anteriores, resultantes de  apoios, nomeadamente as obras da escola secundária de Tondela, a requalificação da zona ribeirinha do rio Dinha e o Centro de Empreendedorismo – Parque Tecnológico. Com recurso a empréstimo ou que tiveram comparticipação, nomeadamente a ampliação das zonas industriais e o saneamento do Caramulo (que não desatam há anos, mas mesmo assim, com apenas dois terços do financiamento definido), as ETAR’s de Molelos e da zona industrial do Lajedo. Continuam ignorados os graves problemas ambientais que afetam o concelho.

Este Orçamento mantém pouca clareza nas dotações para eventos (Ficton, Motor Festival e Semana Gastronómica do Cabrito, Cooperativa Terra de Besteiros, etc.) e continua a assumir as centenas de milhares de euros de prejuízos anuais das termas de Sangemil, via sociedade unipessoal Território Natural, sem esquecer que tem de cumprir os compromissos, fruto de gestão irresponsável, da Tondelviva que ultrapassam os 720 mil euros anuais.

Da pompa de um orçamento de cerca de 30 milhões de euros, convém realçar que os compromissos financeiros ultrapassam os 24 milhões de euros, o que equivale a dizer que o município de Tondela, neste momento, praticamente atingiu a sua capacidade de endividamento.

Também com a abstenção dos vereadores do PS, foi aprovada a 4.ª Revisão do orçamento e PPI,  que evidencia o prejuízo da execução orçamental em favor de obras eleitoralistas de última hora que absorveram toda a atenção e capacidade de execução, adiando investimentos e respetivos benefícios de cerca de 6 milhões de euros.

Na mesma reunião, os vereadores do PS apresentaram uma proposta alternativa, para que a participação da variável de 5% no IRS, metade do valor (2,5%) fosse devolvida aos munícipes. Apesar da fundamentação da proposta socialista, a maioria preferiu que o encaixe de cerca de 700 mil euros reverta na totalidade para os cofres municipais,  perdendo-se assim  a oportunidade de devolver às famílias, com domicílio fiscal no concelho, cerca de 350 mil euros, que poderiam dinamizar a economia local e dar sinal de confiança aos munícipes que já contribuem exageradamente para as taxas e preços de água, saneamento, resíduos sólidos e habitação própria ou arrendamento,  e até ser um atrativo para domiciliação  fiscal de habitantes de outros concelhos vizinhos e fixação de pessoas, num concelho que tem vindo a perder, nos últimos 15 anos, em média, um habitante por dia.

Tondela, 22 de dezembro de 2017

Os vereadores do Partido Socialista

 

(Foto DR)

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub