Pela Nossa Terra – Sátão – a candidatura que quer a Vitória…

por Rua Direita | 2017.08.29 - 10:46

Decorreu ontem, dia 27 de Agosto a apresentação da candidatura cidadã “Pela Nossa Terra” à autarquia de Sátão.

Com a sala de espectáculos local completamente cheia, lugares sentados e de pé, viveu-se um momento de dinâmica entusiástica de pré-vitória.

Muita juventude, muita renovação e, fundamentalmente muita motivação para encetar um novo ciclo político radicalmente diferente da perpetuação dos mesmo e seus familiares nos lugares autárquicos do Concelho.

As centenas de satenses presentes que não recusaram “dar a cara” por esta candidatura aplaudiram com vibrante entusiasmo todas as listas candidatas às Juntas de Freguesia, à Assembleia Municipal e à Câmara Municipal.

Integradora de cidadãos oriundos do PS, PSD e CDS-PP, afirma-se como uma candidatura suprapartidária na qual e pela qual todos deram as mãos e superaram com êxito as origens partidárias, centrados num desígnio e objectivo comum: Vencer as autárquicas para dar ao Sátão um novo rumo, tirando-o do marasmo sem sentido nem destino em que se encontra.

Usaram da palavra pelo PS, Gonçalo Magalhães e José Albuquerque pelo CDS-PP, cujos partidos apoiam esta candidatura.

 

Ouviram-se os mandatários da campanha, financeiro e da juventude, respectivamente, António Campos, Paulo Figueiredo e Ricardo Almeida.

Apresentadas as listas de candidatos às 9 freguesias do Concelho, todos os cabeça de lista intervieram falando das motivações das suas equipas.

 

Usaram da palavra a candidata à presidência da Assembleia Municipal, Elisabete Bárbara e o nº 2 da lista, João Paulo Mendes, seguidamente, António Carlos Xavier de Sá, ausente no estrangeiro, que deixou a sua mensagem em videogravação, Paula Cardoso, nº 3 da lista de candidatos à CMS, o nº 2 António José Caiado e, finalmente, o cabeça de lista, Acácio Pinto.

No meio de muitos aplausos entoou-se o Hino Pela Nossa Terra, com letra de Carlos Paixão e música de Miro.

Deixamos a transcrição do discurso proferido pelo cabeça de lista à autarquia, Acácio Pinto:

 

“Minhas queridas amigas e meus queridos amigos,

Quero de uma forma muito calorosa agradecer a presença de todos vós. De todos e de cada um de vós. Este calor humano, esta força, que a vossa presença me transmite e nos transmite é muito importante e será determinante neste grande projeto para o concelho de Sátão e que a todos nos mobiliza.

 

Agradeço igualmente à comunicação social, jornais e rádios aqui presentes. São e serão sempre para nós elementos fundamentais do debate cívico e político em sociedades democráticas.

Minhas queridas amigas e meus queridos amigos, obrigado a todos que aqui quisestes estar nesta apresentação pública das candidaturas do PNT, Grupo de Cidadãos Pela Nossa Terra.

E o que é o PNT? Este movimento que aqui nos junta?

PNT é a sigla de PELA NOSSA TERRA, é a nossa sigla, é a sigla que representa este movimento de cidadãos eleitores, que representa esta grande coligação de vontades de pessoas do concelho de Sátão, da esquerda à direita, sem olhar às cores partidárias de cada um, mas tão só à competência e ao comprometimento com o desenvolvimento do concelho de Sátão.

E é por isso que nesta vasta plataforma há gente de todos os quadrantes ideológicos e partidários. Há socialistas, como é o meu caso e aqui o reafirmo perante vós, há sociais democratas e há democratas cristãos.

Há afinal gente que mais do que as suas opções ideológicas que não renegam, querem, isso sim, dar o seu forte contributo para uma efetiva e clara mudança no concelho de Sátão 41 anos depois das primeiras eleições autárquicas do pós 25 de abril. Querem, todos, queremos todos, dar ao Sátão uma vida nova e um novo tempo.

E foi neste contexto que o PS e o CDS/PP, não apresentando listas autónomas no concelho de Sátão, decidiram apoiar-nos, sendo esse apoio, para nós, para todos nós, uma grande honra, mas sobretudo uma enorme responsabilidade, que creio, sinceramente, os eleitores do concelho de Sátão vão reconhecer, dando-nos a vitória no próximo dia 1 de outubro.

E esta diversidade que atravessa todas as nossas listas, começou desde logo com os nossos mandatários, a quem agradeço a sua disponibilidade. Ao António José Neves de Campos, ao Paulo Figueiredo e ao Ricardo Almeida.

Este é pois um projeto de pessoas, diversas, que se dirige a todas as pessoas do concelho de Sátão e que está a assustar os mesmos de sempre.

É um projeto que me mobilizará e nos mobilizará a todos durante todo o mandato, do primeiro ao último dia, e não só, como outros fazem, nestes últimos meses, nestes últimos dias, em que, por via disso, os concursos de pessoal com fatos pré definidos atropelam a ética e as obras de ajustes diretos, diretíssimos, se atropelam em cada esquina e são o pão nosso de cada dia.

Impõe-se, pois, estabelecer com o Sátão um novo compromisso, um compromisso de trabalho planeado e ao longo do mandato, receber um mandato em que os únicos e legítimos interesses sejam aqueles que resultam dos interesses da comunidade e nunca dos interesses de negócios privados.

É nesta perspetiva que me curvo perante a qualidade e perante a competência de todas as nossas candidaturas e de todos os candidatos para executarem e se comprometerem com esta linha de conduta.

Esta será a nossa base de atuação na câmara, como esta será a base de atuação de todas as listas do PNT.

Seremos, pois, perante os satenses servidores ativos e no ativo dedicados ao serviço público, norteados pelo respeito de todos e subjugados à transparência de procedimentos.

Só assim seremos credíveis, só assim seremos bastiões de confiança e de respeitabilidade.

É sob este lastro de confiança, de honestidade, de transparência e de respeito que as nossas ideias serão implementadas, deixem-me dizê-lo, por excelentes candidatos, em todo o concelho.

É por isso que agradeço a todos os candidatos às juntas de freguesia através dos seus cabeças de lista. Em Sátão ao presidente e recandidato, António José Carvalho, em Avelal, Paulo Albuquerque, Ferreira de Aves, Ricardo Joel Santos, Mioma, Victor Henriques, Rio de Moinhos, José António Figueiredo, S.M.V.Boa, Fátima Almeida, Silvã de Cima, José Carlos Fernandes, União de Águas Boas e Fores, David Tavares e União de Romãs, Decermilo e Vila Longa, Olindo Pimentel.

E agradeço igualmente, na pessoa da cabeça de lista, a Elisabete Bárbara, a todos os candidatos à Assembleia Municipal. Vai ser uma enorme honra podermos ter a Elisabete Bárbara, com a sua competência e a sua sensibilidade cultural e política, a dirigir este órgão, deliberativo e fiscalizador, no concelho de Sátão.

Quanto aos candidatos à Câmara Municipal, impõe-se, por maioria de razão que vos deixe breves palavras sobre os mesmos.

É uma lista de candidatos que encerra qualidade, diversidade, uma lista que dará vereadores competentes, com autonomia e com responsabilidade. Uma lista de pessoas que pensam pela sua própria cabeça e que não serão nunca marionetas de um qualquer poder pessoal, único, do presidente.

Naquelas que forem as suas competências os vereadores decidirão, e não dirão, vou falar com o senhor presidente.

O António José Caiado, o segundo da lista, foi presidente de Junta durante 3 mandatos e é neste momento secretário de uma junta de freguesia sempre eleito pelo PSD. Conhece como ninguém o concelho e será um vereador com reconhecida capacidade que fará um excelente trabalho diário na relação com o povo com todas as freguesias. Será o vereador com quem as pessoas diariamente se cruzarão nas ruas e estradas do concelho de Sátão.

A Paula Cristina Cardoso a terceira da lista, é a atual diretora do museu Nacional Grão Vasco, de Viseu. Palavras para quê sobre a sua reconhecida competência para trabalhar, entre outras, como vereadora nas áreas da cultura, do património e da programação de eventos.

O António Carlos Xavier, médico, sobejamente conhecido em todo o concelho, social democrata assumido, será vereador sem pelouro, ou seja, participará nas reuniões da autarquia dando por esta via todo o seu contributo e experiência ao município e continuando assim a exercer a sua tão importante função de médico diariamente em proximidade a ajudar as pessoas.

Temos depois a Patrícia Almeida, uma jovem com formação técnica superior e a trabalhar na área financeira e fiscal, o Ricardo Almeida, engenheiro, um jovem a trabalhar na maior empresa privada do concelho, a Graça Almeida, bancária em Sátão, a trabalhar numa prestigiada instituição bancária da região, o Jorge Rodrigues, jovem com formação na área do desporto, com reconhecido trabalho no futebol nas camadas jovens de Sátão, Dora Maria Gomes, educadora de infância, no nosso concelho, José Augusto Almeida, ex-presidente da Junta de Romãs, Andreia Rodrigues, trabalha na área da hotelaria e António Neves de Campos, o nosso mandatário e ex-presidente da Assembleia Municipal pelo PSD, advogado de profissão, que se disponibilizou para nos apoiar e para encerrar a lista de candidatos à Câmara Municipal.

E estes nomes, a qualidade de todos os candidatos às juntas, assembleia e à câmara, para além de me confortarem, dão-me um redobrado alento para caminhar convosco ao lado, para lutar de forma leal em cada trincheira, na primeira, na linha da frente, para não dar ouvidos a anónimos, a incógnitos, que me têm e nos têm atacado, caluniado, de forma rasteira nas redes sociais.

Mas daqui lhes digo, a todos, com tranquilidade, podem continuar a fazê-lo se isso os alimenta, se lhes alimenta o ego, mas não contarão nunca comigo e connosco para lhes darmos qualquer troco. E fiquem, igualmente cientes, de que contra ventos e marés, contra o ataque pessoal, aqui estarei, aqui estaremos, firmes e determinados, para irmos em frente, sempre ao lado dos satenses, ao lado do nosso povo e ao lado da nossa gente.

É, portanto, com estes candidatos, que executaremos o nosso programa e que vamos implementar as nossas ideias.

E se não vos quero maçar, elencando, as nossas bases programáticas, até porque são públicas e constam de um jornal que distribuímos a todos os eleitores do concelho, depois de as colocarmos em debate público, quero porém, deixar-vos aqueles aspetos que reputamos de mais importantes.

Desde logo criação de riqueza, criação de emprego. O Sátão é um concelho de gente trabalhadora que não pode estar eternamente a ter que ir para os concelhos vizinhos e para o estrangeiro em busca de trabalho.

E esta será a nossa primeira grande prioridade. Colmatar a clamorosa falha dos atuais autarcas camarários nesta matéria. Não apoiaram os nossos empresários, não requalificaram as áreas empresariais, basta ver o estado de degradação em que se encontra a antiga área empresarial de Sátão e para além disso executaram um novo área empresarial, a designada joia da coroa, que tem tudo quanto de mais moderno existe, segundo as palavras do atual presidente, até está certificada para ser pioneira a nível de licenciamentos, só lhe falta mesmo uma coisa, dois anos depois de estar concluída: Empresas e empregos. Zero empresas e zero empregos em dois anos, é obra.

Mas é óbvio que este resultado teria que ser o esperado. O carro andou à frente dos bois, como diz o nosso povo. Onde estão os acessos à EN 229? É pela rua do Centro de Saúde e pelo Bussaquinho? Não, não pode ser.

Bem podem vir, agora, à última da hora dizer que têm projetos e mais projetos, mas o que é facto é que não tem acessos.

Daí que para além da execução dos acessos à 229 e a Viseu, efetuaremos um regulamento de apoio financeiro à criação de postos de trabalho para os investidores que aqui se vierem a sediar, mas também para aqueles que já cá estão sediados e criaremos, igualmente, um gabinete dedicado ao apoio ao investidor.

Mas a floresta e a agricultura, como o ambiente, as acessibilidades e o turismo, serão peças cruciais neste nosso projeto para o Sátão, um território com um vasto e riquíssimo património. E é por isso que, na área concreta do turismo, apoiaremos fortemente esta atividade através do apoio aos empresários do setor. Criaremos novas rotas turísticas e promoveremos eventos religiosos, culturais, gastronómicos e desportivos de âmbito regional e nacional que nos coloquem no centro das respetivas agendas mediáticas.

Na solidariedade seremos pró ativos. Queremos um Sátão, inclusivo, um Sátão que conta com todos, que apoia as IPSS e que está ao lado dos mais carenciados, sejam jovens, sejam desempregados, sejam idosos.

E, finalmente, queremos que a Câmara esteja em casa de cada um. Criaremos um balcão móvel municipal e uma aplicação em smartphone para que cada cidadão nos possa reportar no momento qualquer problema que detete em qualquer lugar do concelho. Igualmente criaremos um portal do concelho de Sátão com toda a informação da câmara, das juntas e das instituições concelhias.

Afinal criar um Sátão digital, um Sátão que esteja na linha da frente das tecnologias digitais e que não tenha medo de dar acessibilidade digital a todos os seus residentes.

Minhas queridas amigas e meus queridos amigos, a sessão já vai longa, é por isso que eu quero terminar.

Falei-vos dos nossos princípios, dos nossos valores, falei-vos dos nossos candidatos, falei-vos do nosso programa, e termino deixando-vos um apelo.

Um apelo a um trabalho diário de divulgação das nossas candidaturas e dos nossos projetos.

A tarefa será difícil, será árdua, mas com o vosso empenhamento, com a vossa permanente dedicação e com a vossa férrea vontade de mudar vamos dar ao Sátão um rumo de desenvolvimento e de melhor qualidade de vida a todos os satenses.

Deixem-me dizer-vos que gosto muito de liderar esta candidatura à Câmara Municipal, que é uma honra liderar esta candidatura pela nossa terra, é uma honra estar convosco, com todos vós.

Um agradecimento, antes de concluir, ao Carlos Paixão, autor da letra do nosso hino e ao Miro, autor da música, mas também ao Bernardo Beirão que compôs uma versão musical de campanha.

Caras e caros amigos,

Como alcança quem não cansa, como dizia Aquilino Ribeiro, quero dizer-vos que vou ter muita honra em ser o próximo presidente de todos os satenses.

Darei sempre o meu melhor, pelo Sátão, pela nossa terra.

Juntos somos mais fortes.

Viva o PNT.

Viva o concelho de Sátão.”

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub