“Os Melhores Anos”: Festa? Isto é que é uma festa

por Pedro Morgado | 2018.10.07 - 20:20

“Onde é que você estava no vinte e cinco de” Setembro de 1993? A pergunta não é meramente retórica nem uma pobre caricatura à célebre frase de Baptista-Bastos. Se não sabe onde esteve talvez não saiba o que anda a perder.

Vinte cinco anos, dezenas de artistas de renome, centenas de horas de boa música, milhares de pessoas lindas. Este é provavelmente o balanço que merece ser feito à “vida” do maior evento social da Região Centro. Os OMA – “Os Melhores Anos” andam por aí há um quarto de século e, vou contar-lhes um segredo: estão cada vez melhores.

Foi a 25 de Setembro de 1993 que Eduardo Pinto, o “homem” da mítica banda viseense “Os Tubarões”, juntamente com um grupo de amigos, decidiu organizar um encontro que promovesse o convívio entre antigos companheiros de escola, evento que viria a repetir três anos depois. Hoje, assegurado desde o ano 2000 pelo Grupo Visabeira, conta também com a colaboração da Câmara Municipal de Viseu e da Associação Mutualista Montepio.

No passado sábado, 29 de Setembro, os bilhetes esgotaram, as luzes do Expocenter/Forno da Mimi acenderam-se de novo e os cerca de mil convivas apareceram à hora marcada, sorridentes, preparados para as cerca de oito horas de espectáculo continuo, a melhor gastronomia regional e para o convívio. O que mudou? Exceptuando os 19 graus marcados pelos termómetros que obrigaram a ajustes de última hora nos outfits femininos e a doses duplas de “estás linda amor”, nada. Mesmo nada.

Assim habituados seria mais um dia sem novidade na cidade das boas notícias não fosse o caso do Grupo Visabeira ter apostado tudo nesta edição comemorativa dos 25 anos da festa OMA. E, meu Deus, que aposta.

Aquela que costumava ser uma noite de sonho vestida a rigor ficou (ainda) melhor.  Com a plateia pintada, aqui e ali, por personalidades bem conhecidas do mundo da moda, do entretenimento, da economia, da televisão, do desporto e da cultura, a festa abafou de vez os sons da cidade. Inevitavelmente a noite fez-se madrugada na companhia de António Zambujo, o músico português que está a encantar o mundo, dos Mimo’s Dixies Band, Expresso Cool, da Orquestra Smooth, Remember Revival Band, Maré Jazz e do DJ convidado Rui Pregal da Cunha, o icónico vocalista dos “Heróis do Mar”.

Mas, como nem só de música vive o homem, o grande destaque da noite vai para a estilista Fátima Lopes que apresentou em Viseu a sua nova colecção 2018/2019. Vinda directamente de França, onde esteve presente na Paris Fashion Week, as propostas desta criadora portuguesa, do casual à alta-costura, marcaram indelevelmente a noite. Simplesmente incríveis.

Vinte e cinco anos depois os OMA (Os Melhores Anos) continuam a ter o condão de surpreender e encantar.

Ficou com pena de não ter ido? Vá, vá, vá… Marque na sua agenda. Quando regressar de férias, no próximo ano, os OMA são logo a seguir. Para o ano há mais. Certamente, muito mais.

Crédito fotográfico: José Alfredo

Nasceu na Covilhã. Licenciado em Comunicação Social pela Escola Superior de Educação de Viseu, ocupa parte do seu tempo nas áreas ligadas às novas TIC's.

Pub