“Incúria e nacional-porreirismo” o estacionamento para deficientes na Feira de S. Mateus, escreve um leitor

por Rua Direita | 2017.08.22 - 11:30

Ainda sobre os lugares de estacionamento para portadores de cidadãos com deficiência, em 13 de Julho de 2017 Paulo Marques endereçou o seguinte email à Viseu Marca Coordenação de Segurança:

“Bom dia,

Acabei de ler a notícia onde referem “Este ano, serão reforçados os lugares de estacionamento para cidadãos portadores de deficiência – de 8 para 12 – em artérias próximas das quatro entradas do recinto (Porta de São Mateus, Porta do Sol Posto, Porta de Viriato e Porta Ponte de Pau).”

A primeira reação é: muito bem!

Não posso deixar de constatar que não respondem às reclamações que ficam no respetivo livro, mas pelo menos quero admitir que as leram.

Contudo, porque é preciso fazer mais, importa perguntar:

– A PSP, a Polícia Municipal, e os seguranças da Feira de S. Mateus vão este ano ser informados da localização destes lugares?  

– E estes lugares vão finalmente estar debaixo da atenção das forças de segurança, para que se cumpra o Código da Estrada?

– Caso este ano também se decida cortar o acesso de viaturas a ruas próximas do recinto da Feira, nos dias de maior afluência de visitantes, tal como aconteceu no ano passado, as forças de segurança vão saber que nessas ruas estão os lugares reservados, e permitirão o acesso aos portadores de deficiência?

É que se estas preocupações não existirem e as forças de segurança não souberem onde os lugares estão reservados, e se continuarem a não ter preocupação com o estarem ou não bem ocupados, a existência dos mesmos não servirá eficazmente o fim a que se destinam, como a experiência dos últimos anos o tem demonstrado.

Com os melhores cumprimentos.

– Paulo Marques”

 

Da Coordenação Segurança FSM recebeu a seguinte resposta:

“De: Coordenação Segurança FSM [mailto:segurancafsm@ viseumarca.pt]
Enviada: sexta-feira, 14 de Julho de 2017 17:55
Para: Paulo Jorge Marques – A S Conta
Cc: Jorge Sobrado; Cláudia Vaz Pinto; Margarida Azevedo; maria.miguel@viseumarca.pt; marco.ferreira; joao.moura; dilio.francisco; Nuno Nascimento
Assunto: Lugares de estacionamento para cidadãos portadores de deficiência são reforçados para 12
 

Exmo. Sr. Paulo Jorge Marques,

Agradecemos desde já o seu contacto e contributo, que muito nos honra.

Dando resposta às questões colocadas, informamos:

Referentes às reclamações apresentadas no respetivo Livro, as mesmas são tidas em conta, ponderadas e analisadas pela Viseu Marca, bem como pelas entidades competentes. Da nossa parte damos provimento às queixas, que nos ajudam a melhorar os aspectos apontadas ou referidos na mesma.

No que à atuação das Forças Policiais diz respeito, nomeadamente no controlo do estacionamento em geral e nos lugares reservados a pessoas com deficiência em particular, a Viseu Marca solicita especial cuidado com os mesmos, sendo que a fiscalização é exclusiva das referidas Forças Policiais. Desta forma a Viseu Marca através da Coordenação de Segurança informa todos os envolvidos e com especial atenção as forças policiais da localização dos referidos lugares de estacionamento.

O acesso aos referidos lugares está sob a alçada das forças policiais, pois são os únicos com competências na regulação do trânsito e na correspondente segurança pública no perímetro exterior do recinto da Feira de S. Mateus. Importa contudo salientar que caso as viaturas tenham os referidos dísticos, os agentes envolvidos facilitam o acesso aos lugares desde que não comprometa a segurança implementada aos mais diversos níveis. Alertamos que este evento é caracterizado por um complexo dispositivo de segurança, que abrange diversas sensibilidades, pelo que podem as mesmas não serem percepcionadas pelos visitantes e com isso causar constrangimentos.

Terminamos, agradecendo uma vez mais o contacto, salientando a sua preocupação e pertinência do exposto, e destacando o facto de ser conhecedor dos lugares disponíveis o que facilita a sua utilização.

Estando inteiramente ao dispor, endereçamos os melhores cumprimentos,

Marco Ferreira / João Moura / Dílio Francisco

COORDENAÇÃO SEGURANÇA FSM | Tlm. SOS.: 96.255.0000  |  Email: segurancafsm@viseumarca.pt”

 

À qual assim respondeu:

 

“De: Paulo Jorge Marques – A S Conta [mailto:paulomarques@asconta.pt]
Enviada: sexta-feira, 18 de Agosto de 2017 23:32
Para: ‘Coordenação Segurança FSM’
Cc: ‘Jorge Sobrado’; ‘Cláudia Vaz Pinto’; ‘Margarida Azevedo’; ‘maria.miguel@viseumarca.pt‘; ‘marco.ferreira’; ‘joao.moura’; ‘dilio.francisco’; ‘Nuno Nascimento’
Assunto: RE: Lugares de estacionamento para cidadãos portadores de deficiência são reforçados para 12 (2017.08.18)

 

Exmos. Senhores,

Como se constatou logo nos primeiros dias da Feira de São Mateus, as intenções anunciadas não se traduziram em medidas que efetivamente salvaguardem que os 12 lugares de estacionamento para cidadãos portadores de deficiência cumpram a função para que foram disponibilizados.

Reforço o essencial do que transmiti aos elementos da Coordenação de Segurança FSM quando forma falar comigo, depois da reclamação telefónica que fiz no sábado dia 12 de agosto:

– Não se compreende, que estejam 3 ou 4 agentes da PSP à porta daquela entrada da Feira de São Mateus e não tenham a mínima preocupação com a legalidade do estacionamento naqueles 4 lugares. E o mesmo em relação aos restantes agentes, perto das outras entradas.

– Se a promotora da Feira paga à PSP para lá colocar os agentes, certamente terá toda a legitimidade para lhes EXIGIR que verifiquem os lugares de estacionamento que criaram propositadamente para servir o evento. Não têm necessariamente que multar os condutores não habilitados a estacionar. Basta que estejam atentos a quem estaciona e o impeçam se for o caso. Será a atitude mais sensata e sensibilizadora.

– Não podemos estar a pagar o trabalho – indispensável, diga-se – dos agentes da PSP (porque somos os visitantes que pagamos esse trabalho) para que o mesmo seja incompleto. Urge que nas tarefas EXIGIDAS aos agentes da PSP em serviço na FSM se inclua o controlo da regularidade de estacionamento nos 12 lugares de estacionamento para cidadãos portadores de deficiência.

– Se eu estacionar em cima de um passeio, o mais certo é que – e bem – seja multado. Se eu estacionar num local para cargas e descargas, o mais certo é que – e bem – seja multado.

Se um Polícia Municipal ou agente da PSP está a olhar para 4 [ quatro !!! ] carros mal estacionados em lugares destinados a portadores de deficiência, porque diabo tem que haver alguém munido de dístico a querer lá estacionar para que o agente faça o seu trabalho?…

– E porque as polícias têm que estar à espera que alguém denuncie? E nos pedem para chamarmos o reboque, para depois podermos estacionar?

Não. Esse não pode ser o caminho. Porque depois os senhores agentes não garantem a segurança dos nossos carros, quando o condutor que estava mal estacionado regressa e fica furioso ao perceber que o carro dele foi rebocado e o nosso está estacionado no mesmo local.

– Na noite em que conversámos, à meia noite e trinta, os 3 carros que permaneciam mal estacionados nos lugares da entrada na Feira pela Av. Ant.° J. Almeida, não tinham sido multados. Mensagem certamente retida por estas pessoas sem civismo: na próxima vinda à Feira, poderemos continuar a estacionar aqui indevidamente, porque nada acontece…

No início da tarde de domingo, 13 de agosto, procurámos os 12 lugares de estacionamento para portadores de deficiência anunciados pela organização da Feira de São Mateus.

Encontrámos efetivamente 12, mas incluindo o do Centro de Emprego, e o da Av. Ant.° J. Almeida, frente ao Montepio. Não conseguimos confirmar se nos escapou algum lugar novo.

Dos 12, apenas 2 bem ocupados e um livre… porque todos os outros estavam mal ocupados. Ah!… e havia 2 ou 3 meios lugares… Inclusive por gente que, no país onde trabalha, não faz isto. Já lá estive e constatei que ninguém faz! Mas veem passar cá uns dias e rapidamente regridem…

Aqui, podem ver as fotografias (falta a do lugar da Ant.° J. Almeida, bem ocupado):

www.facebook.com/santos.marques.37/posts/1550350571653338

Ontem à noite (17 de agosto), o cenário a repetir-se, com mais uns quantos lugares para deficientes mal ocupados nas entradas da Feira de S. Mateus. Junto à Av. Ant.° J. Almeida, apenas um lugar bem ocupado e 4 transgressões – 3 carros e uma moto!

Urge mudar mentalidades, o que inclui naturalmente a forma de estar das forças policiais perante a constante transgressão e de quem determina as funções dos agentes da PSP a fazer serviço no evento.

As notícias e as publicações a dizer que “Este ano, serão reforçados os lugares de estacionamento para cidadãos portadores de deficiência – de 8 para 12 – em artérias próximas das quatro entradas do recinto (Porta de São Mateus, Porta do Sol Posto, Porta de Viriato e Porta Ponte de Pau).” não podem servir apenas para propaganda política.

Exige-se atenção e determinação dos responsáveis. Dos políticos, dos operacionais e dos do marketing!

Não pode valer tudo no marketing político. Exige-se que os lugares de estacionamento para cidadãos portadores de deficiência estejam à disposição destes.

Porque é possível. Porque o temos visto noutras cidades de Portugal.

Se não for pedir muito, leiam o relato deste bom exemplo que encontrámos na ilha Terceira:

www.facebook.com/santos.marques.37/posts/1201646583190407

PORQUE O CIVISMO DOS CONDUTORES TAMBÉM SE EDUCA!

E deixo também esta outra reflexão sobre o assunto, feita há um ano:

www.facebook.com/santos.marques.37/posts/1189516594403406

Não nos cansaremos de exigir que

#aPOLICIAdeveFAZERcumprirTODOoCODIGOdaESTRADA

 

Com os melhores cumprimentos.

– Paulo Marques”

 

Tirando desta troca de correspondência as seguintes conclusões:

“Porque julgo que é de potencial interesse jornalístico, em baixo dou conhecimento de mensagens trocadas com a Coordenação de Segurança da Feira de São Mateus sobre o assunto indicado.

Em complemento, refiro que algumas das publicações no FB têm sido partilhadas por outros portadores de deficiência física e habilitados a estacionar naqueles locais, com importantes reforços sobre o caos que se verifica durante todo o ano naqueles lugares da cidade de Viseu.

De entre os vários, deixo apenas este, escrito por José Miguel Sousa:

“Na maior parte das vezes, a autoridade não atua em conformidade (mesmo que eu, se chamar a polícia e esta fizer o seu trabalho, corra o risco de ver o carro vandalizado pelo vândalo que lá tinha sua viatura).

Mas há alturas piores do que outras. Na maior parte das ocasiões festivas que ocorrem ao longo do ano na nossa cidade, todas elas sem que se acautele a inclusão dos cidadãos portadores de deficiência na forma do seu acesso às mesmas, isto acontece. Chega-se ao ponto de as autoridades (PSP / Polícia Municipal) não multarem/bloquearem/rebocarem ou, pelo menos, verificarem o que se passa quando nos dirigimos aos senhores agentes (claro que não, pois nesse caso lá teriam que atuar), mas deixarem-nos estacionar num lugar para deficientes localizado numa praça fechada ao trânsito, não fossemos nós fazer valer os nossos direitos de uma maneira mais contundente.

E sim, das duas uma: ou é incúria e nacional-porreirismo (marcas do lamentável e desgraçado portuguesismo) ou é suposto procederem assim… por obra e graça lá sabem os senhores de quem!”

Com os melhores cumprimentos.

– Paulo Marques”

________________________________

Que devemos pensar de tudo isto? O leitor tirará as suas conclusões, mas algumas delas serão as possíveis ilações tiradas:

Muita parra pouca uva; muita comunicação escassa acção; muito palavrório e pouca obra; muito diz-que-faz, milhares gastos no dizer-que-faz e, na prática aquilo que Paulo Marques, o desencadeador desta troca de correspondência, o “lesado”, constata: “INCÚRIA ” e “NACIONAL-PORREIRISMO”.

Mas tais factos apenas parecem vir comprovar e consubstanciar aquilo sobre o qual há muito escrevemos… Ou é apenas maledicência e os “tipinhos” do costume, em lugares de direcção e execução, muito bem pagos com os dinheiros dos contribuintes, percebem pouco ou nada da “poda” e só ocupam os lugares por mor de “bizarras fraternidades”?

Responda quem sabe…

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub