Estado deve 180 milhões à ADSE

por Rua Direita | 2019.10.30 - 18:40

Segundo o relatório do Tribunal de Contas a ADSE deverá ter um déficit de 17 milhões de euros já em 2020.

Por não terem sido seguidas as recomendações feitas nos últimos quatro  anos pelos juízes deste órgão, a situação tornou-se quase insustentável tendo sido agravada por um envelhecimento dos associados, a determinar uma idade média de 58 anos, com consequente agravamento e aumento de custos proporcionais a esse aumento etário, prevendo-se que em 2028 a faixa média dos beneficiários seja de 63 anos.

Há estudos a indicar que a partir dos 69 anos os titulares se tornam beneficiários líquidos, ou seja, uma situação em que as contribuições se tornam substancialmente inferiores aos maiores benefícios usufruídos.

A ADSE precisa imperiosamente de 300 mil novos associados para manter o seu equilíbrio financeiro.

Independentemente de a  ADSE ter excedentes acumulados até 2019 no montante de mais de 500 milhões de euros, que permitem “cobrir as despesas no médio prazo”,  estes excedentes podem esgotar em 2026.

Alerta ainda, a auditoria, para o risco de haver uma gestão instrumentalizada da ADSE por parte dos seus orgãos directivos, com eventual encobrimento de falhas orçamentais da responsabilidade exclusiva do Estado.

A acrescentar a esta situação de risco eminente, as dívidas do Estado à ADSE não são pagas atempadamente, tendo atingido em 2018 o montante acumulado de 180 milhões de euros.

(Foto DR)

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub