Carta aberta de um utente ao presidente do conselho de administração do CHTV

por Rua Direita | 2018.02.27 - 15:44

De um utente devidamente identificado recebemos para pedido de publicação a carta infra, dirigida ao Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospital de Tondela Viseu. Aqui se transcreve na íntegra, ipsis verbis:

 

Exmo. Sr. Presidente do Conselho de Administração do Hospital Tondela – Viseu

Com conhecimento de causa, por episódio vivido com familiar, seria de todo aconselhável e urgente que V. Exa. tivesse a real necessidade de préstimos de cuidados de saúde nas urgências do hospital a que está adstrita a sua colaboração enquanto administrador…veria com os seus próprios olhos uma realidade muita das vezes escondida e que passa ao lado dos seus congéneres políticos…e por de certo aos seus também…
O Sr. certamente nunca teve necessidade de recorrer a um hospital público, porque com o salário que aufere, terá a possibilidade de socorrer-se num hospital privado, mas a ser verdade, o sr. nunca devia exercer o seu cargo onde se encontra…
Por decerto não saberá o que é passar horas e horas à espera duma triagem, para averiguação dos sintomas que levam às reais necessidades das pessoas a um hospital, que é bem ou mal gerido, por fundos e dinheiros públicos, que pertencem a todos nós, enquanto cidadãos.
Por decerto não saberá, o que é estar horas e horas, contorcendo-se com dores e crises, sem que ninguém questione se realmente precisa ou necessita de algo.
Por decerto não saberá, o que é ver e ouvir o gemido de pessoas amontoadas num corredor, sem comerem, sem beberem, sem que realmente alguém questione se querem ou desejam um simples copo de água ou umas simples bolachas.
Por decerto não saberá o que é a azáfama do pessoal auxiliar, do pessoal médico, do pessoal administrativo em horas de aperto, quando muita gente e muitos doentes dependem dos seus serviços, para darem resposta a tanta falta de mão de obra e de prestadores de saúde, que muita falta fazem a quem deles dependem.
Por decerto não saberá, ainda que saiba, pouco se importará, porque felizmente não são os seus, que morrem utentes nos corredores do hospital que o sr. administra, mas enquanto Administrador, faça o seu trabalho nas devidas condições, dedique-se de corpo e alma ao seu posto de trabalho a tempo inteiro e se for necessário fazer horas extra, faça-as, em prol do interesse dos cidadãos desta cidade e concelho, porque o sr. tem o dever e a obrigação de fazer mais e melhor, por quem realmente precisa duma casa, como essa que o Sr. gere.
Lembre-se que de promessas o inferno está cheio e por isso empenhe-se seriamente na contratação de pessoal necessário, para dar a devida resposta a quem mais dela precisa em horas de aflição.
Contacte os membros do governo, o ministro da saúde e exponha-lhes os casos verídicos e infelizes que se passam na maior parte das vezes nessa Instituição pública e se precisar das pessoas para reivindicar consigo, chame, que nós estamos cá para isso e muito mais.

Cumprimentos

David Couto

 

 

Projecto na área da comunicação social digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana dedicado ao distrito de Viseu

Pub